Imagem da matéria: Corretora brasileira vai lançar exchange descentralizada onde o bitcoin fica sempre com o cliente
Foto: Shutterstock

A corretora de bitcoin Walltime lançou na quarta-feira (01) o white paper da ‘Walltime Zero’, uma plataforma de negociação descentralizada de ativos sem custódia de bitcoin.

Segundo a empresa, que está há quatro anos atuando no mercado brasileiro de criptomoedas, o novo produto visa acabar com a insegurança na custódia de ativos, o que ela chamou de “risco de criptocustódia”.

Publicidade

“A ideia é descentralizar uma parte da operação, que é a parte da criptomoeda”, disse Felipe L. ao Portal do Bitcoin nesta quinta-feira (02). A outra parte, que não será descentralizada, é a custódia de Reais, que será necessária para garantir a transação.

Bitcoin sempre na mão do cliente

De acordo com o documento, por meio da Walltime Zero, o cliente vai receber sua criptomoeda diretamente do vendedor na sua carteira. “Como realmente deveria ser”, diz a empresa no site.

“Walltime Zero se define por uma ‘observadora de Blockchain’ que valida transações públicas e realiza determinadas ações caso essa transação tenha ocorrido de fato”, diz um trecho do white paper.

Conforme detalha o documento, a nova plataforma está baseada num conceito chamado ‘Oráculo de saída’ e não vai passar por ela os ativos.

Publicidade

Desta forma, pode ser eliminada a necessidade de reportar à Receita Federal a entrada e saída de criptoativos, conforme determina a Instrução Normativa 1.888/2019.

No entanto, como a norma da Receita é bastante abrangente, a empresa diz que está analisando com cuidado.

“É uma questão de interpretação”, disse Felipe, sobre se terá que reportar ou não as transações de bitcoin.

Isso, segundo ele, é porque a Receita diz que se há uma facilitação para prover compra e venda deve ser reportada ao órgão, explicou.

Corretora de bitcoin Walltime

De acordo com Felipe, a equipe já está trabalhando no novo produto e pode lançar já nos próximos meses.

No entanto, pode ser que demore mais que o planejado, mas intenção é oferecer o serviço até final deste o ano ou no início de 2021.

Felipe acredita que além de resolver o ‘problema’ da custódia, o produto resolve também o da centralização do bitcoin por exchanges, que podem guardar milhares de bitcoins numa hot wallet.

Publicidade

“Se uma exchange começa a guardar muito bitcoin, se ela estiver insolvente, tiver menos bitcoin reais do que está falando que tem, o mercado pode achar que tem mais bitcoin do que realmente existe. Isso pode em curto prazo afetar o preço do bitcoin”, explicou à reportagem.

Outro ponto sobre a Walltime Zero, é que a direção também planeja ampliar o produto. “Expandir o serviço para um oráculo genérico para smart contracts, integrando ações do mundo real ao mundo digital de contratos automáticos”, concluiu.


VOCÊ PODE GOSTAR
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 62 mil em dia de quedas generalizadas; Dogwifhat desaba 12%

Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 62 mil em dia de quedas generalizadas; Dogwifhat desaba 12%

As quedas resultaram em liquidações de US$ 148 milhões no mercado de criptomoedas nas últimas 24 horas