Imagem da matéria: Coréia do Sul Legaliza Transferências Internacionais de Bitcoin, Desafiando Bancos

A partir de 18 de julho, a Lei de Transações de Câmbio da Coréia do Sul será alterada e permitirá que as empresas Fintech se inscrevam no Serviço de Supervisão Financeira (FSS) para “fornecer legalmente serviços de transferência de dinheiro para fundos pequenos”. The Herald se informou por um funcionário do FSS na quarta-feira.

Uma vez registradas, as empresas podem usar vários métodos para enviar dinheiro para o exterior, incluindo o uso do Bitcoin. A lei alterada especificamente permite as remessas de moeda digital, “que eram ilegais sob a lei de transações cambiais”, escreveu o jornal on-line Dailian.

Publicidade

Para obter uma autorização, uma empresa fintech deve ter um investimento de mais de 2 bilhões de won (aproximadamente 1,75 milhões de dólares) e uma relação dívida/capital abaixo de 200%, explicou The Herald, acrescentando aquele:

Uma transferência única através de uma empresa fintech será limitada a US $ 3.000 ou menos. Por conta, um limite anual para as transferências internacionais de dinheiro através de fintech será fixado em US $ 20.000.

Desafio para os bancos

A lei alterada permitirá que os novos concorrentes compitam com os bancos tradicionais, oferecendo serviços de transferência de dinheiro com taxas muito menores e com um menor tempo de transferência.

Para uma remessa no exterior de 1 milhão de won, uma comissão bancária típica está entre 50.000 e 60.000 won, e as Fintech deverão cobrar entre 3.000 até 40.000 won. Além disso, uma transação bancária levaria de dois a até três dias.

Enquanto isso, o fornecedor de serviços de remessa de Bitcoin, Coinone, apenas cobra uma taxa de comissão de 1% e “os depósitos são feitos dentro de 3 minutos após a solicitação de transferência de dinheiro”, mostra o site.

Publicidade

Em resposta aos novos concorrentes, o Keb Hana Bank limitou algumas de suas taxas de transferência para cerca de 10 mil won, e o Shinhan Bank está considerando a introdução de um sistema de remessa para o exterior baseado em Bitcoin, informou The Herald.

Kang Mi-jung, pesquisador sênior do Hana Institute of Finance, comentou:

Os bancos domésticos precisam encontrar maneiras de fornecer serviços de remessa com taxas simples e baratas e estabelecer novos modelos de lucro através de parcerias com fintechs

A indústria mundial de transferência de dinheiro deverá crescer para aproximadamente US $ 600 bilhões este ano, de acordo com pesquisas da Infosys. Cerca de 40 Fintechs estão programadas para lançar serviços internacionais de transferência de dinheiro a partir de 15 de agosto, informaram os funcionários do FSS dizendo que “o movimento deverá intensificar a concorrência no mercado internacional de transferência de dinheiro em 10 trilhões de won (US $ 8,7 bilhões de dólares)”.

 

Siga o Portal do Bitcoin no Telegram: https://t.me/portaldobitcoin

VOCÊ PODE GOSTAR
BTC bitcoin na frente de nota de dólar de 1 milhão

Preço do Bitcoin aumenta com otimismo de Biden sobre queda de juros do Fed ainda este ano

“Mantenho minha previsão de que, antes do final do ano, haverá um corte nas taxas”, disse o presidente dos Estados Unidos
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca
Imagem da matéria: ETF de Bitcoin da BlackRock é o 3º mais investido por brasileiros no exterior

ETF de Bitcoin da BlackRock é o 3º mais investido por brasileiros no exterior

Produto da BlackRock fica atrás apenas dos ETFs que seguem o índice S&P 500 e o setor imobiliário dos EUA
Imagem da matéria: Corretoras batem recorde de negociações enquanto suas reservas de Bitcoin despencam

Corretoras batem recorde de negociações enquanto suas reservas de Bitcoin despencam

A alta das criptomoedas em março resultou em um recorde de negociações e queda drástica das reservas de Bitcoin das corretoras