Imagem da matéria: Coinbase ganha sinal verde para oferecer futuros de criptomoedas nos EUA
(Foto: Shutterstock)

Uma unidade da corretora de criptomoedas Coinbase anunciou nesta quarta-feira (16) que conseguiu as aprovações dos reguladores National Futures Association (NFA) e da Commodity Futures Trading Commission (CFTC) para operar nos EUA.

Isso significa que a empresa agora pode operar como Futures Commission Merchant (FCM), ou seja, que pode oferecer investimentos em futuros de criptomoedas para clientes qualificados nos Estados Unidos.

Publicidade

No entanto, a empresa indicou em seu site que o serviço não estaria disponível imediatamente, pedindo aos usuários interessados que entrem em uma lista de espera para terem acesso antecipado.

A Coinbase agora deve se tornar a primeira empresa a oferecer aos clientes dos EUA tanto negociação tradicional de criptomoedas como o Bitcoin à vista quanto futuros de cripto.

https://twitter.com/coinbase/status/1691751814004175204

“Um marco importante”

“Este é um marco importante de trazer a supervisão regulatória federal sobre os mercados de criptomoedas”, disse Faryar Shirzad, diretor de políticas da Coinbase, ao Decrypt.

“Sob a supervisão da CFTC e da NFA, a Coinbase poderá oferecer futuros regulamentados de maneira a proteger os consumidores e ajudar a garantir que os EUA continuem sendo um centro de inovação digital. A Coinbase espera atender aos altos padrões da CFTC e da NFA e fornecer aos americanos mais opções financeiras”.

Publicidade

Como a empresa explicou em seu blog anunciando a notícia, obter essas aprovações legais foi uma longa jornada. A Coinbase entrou com um pedido na NFA para se tornar uma FCM em setembro de 2021.

A Coinbase preparou o terreno para oferecer derivativos criptográficos por meses. Em 2022, a empresa adquiriu a FairX, uma bolsa de futuros regulada pela CFTC, agora conhecida como Coinbase Derivatives Exchange.

A empresa lançou contratos futuros de nano Bitcoin e Ethereum, dimensionados para o investidor de varejo e, em 5 de junho, lançou versões maiores para o mercado institucional.

Ter acesso aos mercados de derivativos de criptomoedas abre um mercado potencialmente enorme para a Coinbase, que afirma representar cerca de 75% do comércio mundial de cripto.

Publicidade

No meio de sua batalha legal com a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), a empresa apresentou este novo desenvolvimento como prova de seu compromisso de se alinhar com as leis dos EUA. No início de junho, o órgão regulador iniciou uma ação legal contra a Coinbase, acusando a exchange de violar as regulações locais por meio da venda de valores mobiliários não registrados.

*Traduzido por Rodrigo Tolotti com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
Imagem da matéria: Vitalik Buterin critica prisão de dev do Tornado Cash: "Realmente lamentável"

Vitalik Buterin critica prisão de dev do Tornado Cash: “Realmente lamentável”

O fundador do Ethereum nem se importou em comentar sobre os ETFs, mas refletiu sobre a recente condenação de um desenvolvedor do Tornado Cash
Imagem da matéria: Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do "Rei do Bitcoin"

Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do “Rei do Bitcoin”

Nova operação da Polícia Federal visando fraudes no portos do Paraná revelou uma curiosa ligação entre o irmão do Roberto Requião e um dos maiores piramideiros do Brasil
Fazenda de Mineração de criptomoedas Salto del Guairá Paraguai -ANDE

Paraguai usa inteligência artificial para encontrar fazenda ilegal de mineração de Bitcoin

Autoridades apreenderam 176 ASICs em Saltos de Guairá com ajuda de sistema que mede a tensão de redes elétricas