Imagem da matéria: Cidade da Suíça fecha parceria com Tether para dar início à adoção do Bitcoin
(Foto: Shutterstock)

A Prefeitura de Lugano, cidade ao Sul da Suíça, anunciou na quinta-feira uma parceria com a Tether, empresa por trás da stablecoin USDT, para darem início a ações que permitam o uso do Bitcoin e da USDT pelos cidadãos no pagamento de serviços e impostos.

Segundo comunicado, o memorando de entendimento determina às duas entidades o empenho na criação de um centro de excelência europeia para a adoção da tecnologia blockchain por meio da iniciativa batizada de ‘Lugano´s Plan ₿’.

Publicidade

“Lugano está investindo em seu futuro”, afirmou o prefeito da cidade Michele Foletti”, acrescentando que “a parceria estratégica com a Tether ajudará a construir uma cidade melhor, mais aberta, transparente e inteligente”. Na mesma nota, Paolo Ardoino, diretor técnico da Tether, disse que Lugano é uma cidade dinâmica cujas pessoas olham para o futuro e inovação.

Também em comunicado da Tether na quinta, Ardoino disse:

 “Como a maior stablecoin do mundo, vislumbramos um futuro em que empresas de todos os tamanhos e escalas sejam capazes de alavancar plataformas blockchain para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos locais, fornecendo serviços financeiros e diários mais sustentáveis, transparentes e confiáveis. Estamos ansiosos para que Lugano se torne um modelo para adoção global”.

Stablecoin LVGA já é realidade 

“Lugano já acolhe várias iniciativas dedicadas à inovação e portanto permite que o Tether vá além da maioria das implementações atuais de blockchain trabalhando em conjunto

ao município para realizar os primeiros casos práticos à escala urbana”, diz o comunicado, se referindo à iniciativa LVGA Points, um token já em uso no município através do aplicativo MyLugano.

Publicidade

O argumento para a parceria com a Tether, segundo a nota da prefeitura de Lugano, é que até agora, a maioria dos projetos de blockchain se concentrou em questões fundamentais (teóricas, científicas, filosóficas), prestando pouca atenção nas comunidades locais e o desenvolvimento de aplicações práticas.

“O objetivo desta colaboração é aplicar a tecnologia blockchain de forma concreta em uma escalada municipal”, ressalta a nota.

Próximos passos para adoção do Bitcoin

Num futuro próximo, a cidade de Lugano pretende permitir que cidadãos e empresas paguem impostos, taxas, bens e serviços prestados pelo órgão público aceitando apenas Bitcoin— provavelmente por meio da Lightning Network — , Tether e stablecoins baseadas em francos suíços.

“Desta forma, Lugano será uma das primeiras cidades do mundo a implementar um sistema completo de pagamento com criptomoedas”, diz a nota, acrescentando que a Prefeitura garantirá a infraestrutura necessária e tecnologia para empresas locais que desejam integrar os novos serviços de pagamento.

Além disso, a Tether vai liderar um grupo de empresas líderes no setor de criptomoedas para criar um fundo de 3 milhões de francos para ajudar a financiar startups ativas no ramo do blockchain e focado na construção de serviços blockchain localmente. Bolsas de estudo também serão criadas, concluiu a prefeitura.

Publicidade

Polêmicas sobre a Tether

Ao contrário do Bitcoin — moeda descentralizada e sem lastro — a stablecoin Tether é centralizada e com lastro no dólar americano, ou seja, para cada 1 USDT deve haver em caixa US$ 1. Logo, deve haver US$ 79,8 bilhões em reservas para os 79,8 bilhões de unidades da stablecoin circulando atualmente no mercado de criptomoedas.

No entanto, até virar num processo de dois anos nos EUA, a Bitfinex, controladora da Tether, nunca havia provado a existência de tais fundos.

No ano passado, depois de uma ação da Procuradoria Geral de Nova York, a empresa foi multada em US$ 18,5 milhões e se comprometeu a emitir um relatório trimestral das reservas do USDT. O  órgão também baniu a Bitfinex e Tether do estado de Nova York.

O canal da Lugano Living Lab publicou um vídeo do evento que contemplou a parceria entre as entidades.

VOCÊ PODE GOSTAR
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Agência federal de fiscalização dos Estados Unidos começa a olhar para games cripto

Comprar vidas extras ou ganhar tokens em um jogo do tipo play-to-earn equivale a um “banco em games e mundos virtuais”, diz agência
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

Polícia Civil de SP pede prisão de donos da Braiscompany e mais dois funcionários

Antônio Neto Ais já está preso na Argentina, enquanto Fabrícia Campos está em liberdade condicional
Arte digital mostra mãos operando um celular que projeta moedas

O que é restaking? Tendência polêmica do Ethereum agora é mercado de US$ 8 bilhões 

Protocolos de restaking que permitem gerar nova liquidez com tokens já travados na rede são vistos como “risco sistêmico” por Vitalik Buterin, criador do Ethereum
Moeda de Bitcoin no centro de dados IA

Algoritmos de Aprendizado de Máquina preveem preço do Bitcoin para 30 de abril

Inteligência artificial prevê para o último dia deste mês que o preço do Bitcoin passe por um ligeiro ajuste