Bandeira da China com moeda de bitcoin
Shutterstock

O governo da China, notório pela repressão às criptomoedas, pode ser uma das principais ‘baleias’ de Bitcoin do planeta, superior até mesmo a empresas de capital aberto como a Microstrategy, do evangelista do Bitcoin Michael Saylor, e a Tesla, do bilionário Elon Musk.

Isso acontece porque, em 2020, a polícia chinesa confiscou cerca de 195.000 BTCs de um esquema de pirâmide chamado Plustoken que atuava no mercado local havia pelo menos dois anos. Trata-se de uma quantidade que representa aproximadamente 1% de todo o Bitcoin já minerado até a ocasião.

Publicidade

Para se ter uma ideia, a maior baleia institucional conhecida até o momento é a MicroStrategy, que recentemente afirmou deter em caixa 130.000 BTCs, a mesma quantidade anunciada por Saylor em setembro. Vale lembrar que o termo ‘baleia’ se refere a empresas ou pessoas que detêm uma grande quantidade de criptomoedas.

A curiosidade surgiu após um tweet do analista de Bitcoin, Ki Young Ju, cofundador da plataforma de análise de criptomoedas CryptoQuant. Na noite de quarta-feira (02), Ju fez a seguinte analogia:

“Curisidade: O governo da China é uma baleia das criptomoedas. As autoridades chinesas apreenderam 194 mil BTC, 833 mil ETH, entre outras [criptos] do golpe PlusToken em 2019. Eles perderam esses ativos no valor de US$ 6 bilhões para o tesouro nacional. para efeito de comparação, a MicroStrategy tem 130k BTC”.

No post, uma imagem com as empresas de capital aberto que mais seguram bitcoin, com a Microstrategy no topo, com seus 130.000 BTCs, seguida por Galaxy Digital (40.000), Voyager (12.260) e Tesla (10.725).

Publicidade

Na terça-feira (01), a Microstrategy confirmou o número de BTCs em um relatório.

“No terceiro trimestre, compramos aproximadamente 301 bitcoins por US$ 6 milhões a um preço médio de cerca de US$ 19.860, líquido de taxas e despesas. Em 30 de setembro de 2022, a empresa detinha 130.000 BTCs adquiridos por volta de US$ 4 bilhões, ou US$ 30.639 por unidade, também líquido de taxas e despesas”, diz um trecho do documento.

Caso Plustoken na China

Há cerca de dois anos, a Justiça chinesa condenou os golpistas da pirâmide financeira ‘Plustoken’ a penas que chegaram a 11 anos de prisão. Fora isso, o criador do negócio, Chen Bo, seu sócio Chen Tao e outros 13 réus foram condenados a pagar multas equivalentes a até R$ 5 milhões.

A fraude envolveu milhões de vítimas e um prejuízo estimado em aproximadamente US$ 2 bilhões (cerca de R$ 10,5 bilhões).

Para se ter uma ideia da ousadia dos golpistas, o esquema arrecadou cerca de 1% de todos os bitcoins que já tinham sido minerados na época — dada sua escassez de pouco mais de 18,5 milhões de unidades.

Publicidade

Portanto, se o Tesouro da China ainda segura os bitcoins apreendidos, pode ser a entidade com mais BTCs em hold do planeta.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin voltam a captar mais US$ 100 mi por dia nos EUA; Ex-diretor da FTX pede 18 meses de prisão

Mercado também começa a se preparar para veredito final da SEC sobre os ETFs de Ethereum à vista
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Imagem da matéria: Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Ripple anuncia programa contínuo de bolsas em dinheiro para programadores do Brasil

Meta é que comunidade de programadores crie soluções na XRP Ledger, blockchain usada pela empresa e que tem o token nativo XRP
SBF da FTX no Congresso dos EUA

Criador da FTX diz que divide presídio com assassinos e brinca que arroz virou moeda com “boas oportunidades” de arbitragem

Sam Bankman-Fried, fundador da FTX, falou sobre sua vida na prisão, a visão diferenciada que tem sobre o que poderia ter sido sua vida e sua tentativa de apelação da condenação