Imagem da matéria: Chiliz sofre com altas taxas de transferência causada por custos da rede Ethereum e valorização
Foto: Divulgação

As taxas de transferência e de saque da Chiliz (CHZ) dispararam nas exchanges nacionais e internacionais por causa da valorização do token e dos altos custos da rede Ethereum, blockchain onde o ativo foi criado.

No Mercado Bitcoin, a taxa para transferir o ativo para carteiras ou trocá-lo por outras criptomoedas chegou a 600 CHZ. Na segunda-feira (15), caiu para 100 CHZ, o que na cotação do dia implicaria em um custo de R$ 318.

Publicidade

A taxa para conversão de CHZ em real é diferente. Nesse caso, conforme a plataforma, o custo é de 2%. Já para transferir o dinheiro fiduciário para a conta bancária, é preciso pagar R$ 2,90 + 1,99%, de acordo com o site. O valor mínimo de saque é de R$ 50. A exchange foi questionada sobre os custos de transferência do CHZ, mas não enviou resposta até o fechamento desta matéria.

Na Binance, a taxa de transferência do CHZ é de 28 tokens, segundo o site da empresa. Na cotação em real de hoje, o valor é de cerca de R$ 100. O custo do saque é o mesmo. Já a retirada mínima da exchange é de 56 CHZ (R$ 201).

Em nota, a empresa disse que seus preços são “ajustados de acordo com o custo de cada rede e que os custos para saque de CHZ seguem a mesma lógica”.

Em corretoras internacionais, os custos da taxa também estão altos. Na Bitfinex, segundo o site da corretora, a taxa de saque da Chiliz é de 60.84 CHZ. O valor dá cerca de R$ 216.

Publicidade

No Twitter, diversos investidores enviaram mensagens para a Chiliz comentando o alto custo. “Sério Chiliz e Alexandre Dreyfus (fundador da empresa) que a taxa é de 29,25 CHZ — US$ 20? Por quê?”, questionou um usuário chamado Tolga Aydin.

Em um tweet publicado pelo fundador da Chiliz no sábado (13), um usuário identificado como Takeshi Katsuro escreveu que as taxas de retirada estão insanas.

No final de semana, o gerente de marketing da Chiliz, Joe Grech, pediu paciência e disse que o time inteiro da plataforma está trabalhando para lidar com o aumento de novos usuários.

Aumento de preço e de taxa

Desde o início do ano, o CHZ valorizou 3.000%, passando de 0,02 para 0,60 centavos de dólar, segundo o CoinMarKetCap. Em reais, a criptomoeda passou de R$ 0,11 para R$ 3,60.

Publicidade

Essa valorização meteórica do token, que liga clubes de futebol a seus fãs, levou ao aumento do número de transações na blockchain Ethereum, onde o ativo é negociado.

Uma das consequências do alto tráfego é a disparada do valor médio das taxas pagas por transações na rede, conhecidas como gas fee.

Quanto mais transações são feitas na rede, mais sobrecarregada ela fica e mais cara fica a taxa.

De acordo com a plataforma de dados ycharts, a taxa do Ethereum é de US$ 17,48. Em fevereiro, segundo a mesma ferramenta, ela chegou a US$ 39,49.

VOCÊ PODE GOSTAR
Gary Gensler, presidente da SEC

ETFs de Ethereum podem ter encerrado a guerra da SEC contra as criptomoedas | Opinião

Legisladores podem finalmente aprovar leis para reduzir drasticamente o alcance da SEC sobre criptomoedas e criptoativos
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin segue em queda e perde os US$ 67 mil refletindo sinais do Fed

Manhã Cripto: Bitcoin segue em queda e perde os US$ 67 mil refletindo sinais do Fed

Mercado de criptomoeda caminha para fechar a semana no negativo após o Fed indicar apenas um corte de juros no ano, com o Bitcoin voltando para US$ 66 mil
Ilustração de baleia nadando com moeda de bitcoin em seu interior

Baleia de Bitcoin movimenta US$ 535 milhões após mais de 5 anos parada

Uma baleia não identificada transferiu 8.000 BTC para a Binance ontem – se vendida, renderia mais de meio bilhão de dólares em lucro
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos