Pilha de moedas de bitcoin à frente de uma tela que mostra logo da Celsius
Foto: Shutterstock

A Celsius Network, a empresa de empréstimos de criptomoedas que colapsou, está a caminho de sair da falência depois que um juiz aprovou seu plano de reembolso aos clientes em um tribunal de falências em Delaware na quinta-feira (9).

O plano, apresentado ao tribunal de falências em 2 de outubro, previa a criação de uma nova entidade com US$ 450 milhões em financiamento inicial. Chamada de NewCo, ela se concentrará na mineração e staking de Bitcoin, sendo de propriedade dos clientes e credores que antes foram prejudicados pela Celsius.

Publicidade

A Celsius, sob a gestão do ex-CEO e cofundador Alex Mashinsky, colapsou junto com várias empresas de criptomoedas de destaque no verão passado, à medida que os preços das criptomoedas despencaram. Em outubro de 2021, a empresa falida tinha US$ 25 bilhões em ativos sob gestão.

Daqui para frente, a empresa será gerenciada pelo Fahrenheit Group, um consórcio que venceu a licitação para adquirir a Celsius em maio. A NewCo planeja se tornar uma empresa de capital aberto listada na Nasdaq, visando “maximizar a liquidez” para os credores, de acordo com um arquivamento.

O plano aprovado também inclui uma distribuição de “pelo menos US$ 2,03 bilhões” em criptomoedas para os credores. Após perderem o controle de suas contas e criptomoedas por mais de um ano, os advogados da Celsius indicaram que os clientes poderiam ver os reembolsos no início do próximo ano, segundo a Bloomberg News.

Em julho, Mashinsky foi alvo de uma série de acusações criminais e ações judiciais civis por sua conduta à frente da Celsius. O Departamento de Justiça, a Comissão de Valores Mobiliários (SEC), a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities e a Comissão Federal de Comércio tomaram medidas.

Publicidade

Os procuradores federais prenderam e acusaram Mashinsky de fraude, acusando o ex-CEO de orquestrar “um esquema para inflar o preço do token proprietário da Celsius, o CEL”, junto com Roni Cohen-Pavon, diretor de receitas da empresa, e outros funcionários.

Antes da aprovação do plano, o CEL subiu para US$ 0,25 na quarta-feira. No entanto, o token desde então caiu para US$ 0,23, uma queda de 7% nas últimas 24 horas, segundo o CoinGecko.

O juiz de falências dos EUA, Martin Glenn, aprovou o plano sem determinar se os ativos digitais pertencentes aos credores da Celsius são valores mobiliários ou commodities. No entanto, ele indicou que a Comissão de Valores Mobiliários (SEC) poderia contestar as transações.

“Nada nesta ordem de confirmação […] constitui uma conclusão sob as leis federais de valores mobiliários sobre se os tokens ou transações envolvendo tokens são valores mobiliários”, disse ele. “O direito da [SEC] de contestar transações envolvendo tokens por qualquer motivo é expressamente reservado”, disse.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

Talvez você queira ler
SBF da FTX no Congresso dos EUA

Sam Bankman-Fried lidera “lista da vergonha” da Forbes; veja quem mais decepcionou

A Forbes publicou uma lista de jovens empresários que contrariam as expectativas ao se envolverem em fraudes e outras infrações
Mão operando um hologrma

Os reguladores já estão entendendo o valor da tokenização! E você? | Opinião

A tokenização surge como protagonista no atual cenário, e a CVM já expressou sua visão sobre esse fenômeno, sinalizando uma compreensão além da simples digitalização de ativos
Imagem da matéria: Memecoin inspirada em Charlie Munger decola 31.000% após morte do bilionário

Memecoin inspirada em Charlie Munger decola 31.000% após morte do bilionário

Como o falecido Munger receberia a notícia de que sua morte enriqueceu pelo menos alguns aficionados por shitcoin? Não muito bem.
CEO interina da OpenAI, Mira Murati, posa para foto

Quem é Mira Murati? A sucessora de Sam Altman na gigante de inteligência artificial OpenAI

Embora a ex-diretora técnica esteja aberta à regulamentação de produtos de IA, ela também rejeitou pedidos para desacelerar o ritmo de desenvolvimento da OpenAI