Imagem da matéria: Catalunha: Como a Blockchain Poderia Ajudar

Os olhos do mundo estão observando uma região autônoma da Espanha chamada Catalunha por seu direito de ser uma nação soberana. A tecnologia por trás da revolução das criptomoedas pode desempenhar um papel para ajudar a manter os eleitores seguros?

No dia 1 de outubro de 2017, mais de 2 milhões de catalães votaram a favor da separação da Espanha e se tornar uma nação independente. O governo espanhol, que havia declarado anteriormente que a realização de um referendo desse tipo seria ilegal, respondeu em um espetáculo de força que as principais organizações de notícias relataram como “desproporcionais”. O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, negou que o voto do referendo tenha ocorrido, embora ele elogie a repressão policial, afirmando: “Hoje, todos os espanhóis viram que a nossa lei estadual de Estado mantém sua força e realidade e restringe aqueles que desejam subverter o estado da lei e atua com todos os recursos legais, vis a vis a todas as provocações, e faz com eficácia e de forma serena.”

Publicidade

O presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, em um comunicado televisionado, afirmou:” Neste dia de esperança e sofrimento, os cidadãos da Catalunha ganharam o direito de ter um estado independente sob a forma de uma república”.

A brutalidade da resposta do governo espanhol é a condenação internacional. Nomeadamente, o alto comissário das Nações Unidas para os direitos humanos, Zeid Ra’ad al-Hussein, afirmou:

“Estou muito perturbado pela violência na Catalunha no domingo. Com centenas de pessoas feridas, exorto as autoridades espanholas a assegurar investigações completas, independentes e imparciais de todos os atos de violência. As respostas da polícia devem, em todos os momentos, ser proporcionais e necessárias. Acredito firmemente que a situação atual deve ser resolvida através do diálogo político, com pleno respeito pelas liberdades democráticas. Exorto o Governo da Espanha a aceitar sem demora os pedidos de especialistas relevantes da ONU para os direitos humanos”.

O problema

A Catalunha, que tem uma economia do tamanho da Finlândia ou de Portugal, está situada no nordeste da Espanha e é geralmente conhecida pelas estâncias balneares do Mediterrâneo da Costa Brava, dos Pirineus e da cidade de Barcelona. A região abriga 7,5 milhões de pessoas e manteve suas próprias tradições distintas, língua (catalã) e cultura. Os nacionalistas espanhóis argumentariam que a Catalunha é uma província espanhola, enquanto os catalães mantêm fervorosamente sua identidade separada datada do século 13. Ambos os lados usam a história para reforçar seus argumentos, e a verdade terá que ser eliminada por diplomatas e advogados.

Publicidade

Nos momentos em que a verdade é feita para ser relativa, poder confiar nos dados é a chave do sucesso. A blockchain pode ser a solução por 2 razões principais.

Razão # 1: Controle de Informação

As tecnologias Blockchain, fornecem um meio de esquivar a capacidade do governo espanhol de controlar o fluxo de informações através do ciberespaço. Isso permite que as pessoas se organizem de forma mais eficiente e apresentem uma oposição mais unida. Os tempos de coordenação, datas e locais são importantes para qualquer movimento que se baseie em números de massa para o sucesso. A tecnologia Blockchain pode manter as linhas de comunicação abertas ao combater a censura da internet. Além disso, a informação em uma blockchain é descentralizada. Isso significa que as câmaras de votação física poderiam ser substituídas por software, e a votação poderia ser realizada de forma remota, removendo assim a necessidade de se reunir, o que apresenta um alvo para governos opressivos.

Razão # 2: Confiando nos Dados

A blockchain fornece um meio confiável de cortar a história culturalmente carregada por trás da luta catalã pela independência, expondo os dados sociais brutos por trás do movimento. A este respeito, a tecnologia blockchain pode ser pensada como uma ferramenta tática que melhora a democracia. Os dados armazenados em uma blockchain podem ser discriminados e verificados, matematicamente e precisamente. Isso remove a capacidade de refutar resultados eleitorais ou manipular dados para suportar conclusões infundadas ou histórico tendencioso. Os votos podem ser contados em questão de segundos e os resultados podem ser compartilhados em todo o mundo imediatamente. Não ser capaz de argumentar contra os dados remove as camadas de abstração tendenciosa envolvendo disputas culturais como a da Catalunha. Um sistema de votação habilitado para a blockchain exigiria que o governo da Espanha reconhecesse a votação de 2,3 milhões de pessoas, em vez de tentar reescrever a história como está acontecendo.

*Texto de Jordan Daniell traduzido do EthNews.

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Estátua da justiça e martelo de juiz à frente de bandeira do Canadá

Canadá multa Binance em R$ 22,5 milhões por violar as leis de combate à lavagem de dinheiro 

Agência do governo menciona falta de registro e ausência de relatório de transações enquanto corretora operou no país
martelo de juiz com logo da binance no fundo

Governo dos EUA contrata empresa para monitorar a Binance

A Forensic Risk Alliance venceu a disputa contra a Sullivan & Cromwell, que atuou no caso FTX
Donald Trump ex-presidente dos EUA

Donald Trump recebe compradores de seus NFTs em jantar de luxo

O ex-presidente resolveu aproveitar o dia de folga do Tribunal de Nova York para receber os apoiadores no resort de luxo Mar-a-Lago