Imagem da matéria: Brasileiros lançam criptomoeda para financiar pesquisas com composto químico de cogumelos alucinógenos
Foto: Shutterstock

A startup brasileira Biocase lançou neste mês de setembro uma criptomoeda chamada BioTrip, criada para financiar pesquisas sobre o uso medicinal da psilocibina, o composto químico presente nos cogumelos alucinógenos, de acordo com informações do site Tilt, do UOL.

O CEO da Biocase, Sérgio Fadul, explicou ao site que o novo criptoativo será distribuído através de uma oferta inicial de moedas (ICO) antes de ser aberto para a negociação livre no mercado. “Qualquer um pode investir, com uma pequena fração do que faria um investidor qualificado, e com a vantagem de financiar algo inovador no campo da medicina aqui no Brasil”, disse o empresário.

Publicidade

A principal meta da startup é arrecadar US$ 5 milhões através da criptomoeda — quantia necessária para o desenvolver duas novas drogas baseadas na psilocibina.

Desenvolvido na blockchain da Solana, o token da BioTrip terá o custo fixo de US$ 1, pelo menos até que as negociações sejam liberadas. Isso deve acontecer após 60% da meta de arrecadação ser atingida, ou após três anos do lançamento da moeda.

Como descreve o site do projeto, do dinheiro obtido nesta oferta inicial, 75% será usado para pagar os estudos clínicos, 15% irá para a reserva de liquidez da criptomoeda, e 10% para custos operacionais do projeto.

“A criptomoeda possui uma utilidade real, porque permite comprar, nesse caso, um produto médico”, disse ao Tilt Gustavo Yukio, o desenvolvedor da Grootbit, empresa responsável por criar a BioTrip.

Publicidade

Mas vale destacar que ter essa criptomoeda, classificada com um utility token, não significa que um usuário poderá comprar medicamentos psicodélicos. No Brasil, a psilocibina é um composto de uso proibido que só pode ser usado em casos específicos por pessoas/empresas com licenças da Anvisa.

Parceria com universidade brasileira

De acordo com seu site da Biocase, a startup possui um laboratório de biotecnologia em parceria com o Certibio, um laboratório público da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Apelidado de “Vale do Silício do Agreste”, o Certibio foi o primeiro laboratório do Brasil a receber autorização da Anvisa para testar e desenvolver medicamentos baseados na psilocibina, conforme noticiou o portal Viva Bem em maio deste ano.

Os estudos do laboratório apostam no poder medicinal dos compostos psicodélicos no tratamento de doenças crônicas como depressão, ansiedade, além de dependência química e traumas.

Publicidade

A maior parte dos fundos obtidos com a venda da criptomoeda BioTrip, portanto, deverão financiar a pesquisas desses medicamentos. Um dos objetivos da startup é ajudar o laboratório Certibio a obter o registro de um novo medicamento baseado na psilocibina até o final de 2023.

Além disso, a Biocase deve iniciar ainda neste ano a sua primeira pesquisa com o composto psicodélico. Segundo o Tilt, os estudos serão conduzidos pelo Instituto Alma Viva, que é o braço da empresa especializado em terapias psicodélicas.

O MB oferece taxas regressivas de negociação e estratégia de investimento de acordo com o seu perfil. Junte-se à maior Exchange da América Latina e negocie mais de 200 ativos digitais, como tokens, renda fixa digital e criptomoedas. Abra a sua conta gratuita!

VOCÊ PODE GOSTAR
graficos vermelhos em queda

Investidores sacam R$ 1 bilhão de projeto DeFi da Solana após renúncia de CEO

O fundador da Marginfi anunciou sua renúncia em meio a um turbilhão de controvérsia e desentendimento operacional
Imagem da matéria: Web3, futuro do Bitcoin e IA: os destaques do primeiro dia do Web Summit Rio

Web3, futuro do Bitcoin e IA: os destaques do primeiro dia do Web Summit Rio

Um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do mundo, o Web Summit Rio acontece entre 15 e 18 de abril
Brad Garlinghouse, CEO da Ripple , posa para foto

Mercado de criptomoedas vai valer US$ 5 trilhões até final do ano, prevê CEO da Ripple

Brad Garlinghouse justifica seu otimismo pelo halving do Bitcoin e um possível impulso regulatório positivo do mercado cripto nos EUA
Imagem da matéria: Como saber o dia e hora que vai acontecer o halving do Bitcoin?

Como saber o dia e hora que vai acontecer o halving do Bitcoin?

O halving, que ocorre a cada 210 mil blocos do Bitcoin, está previsto para acontecer em abril, mas o momento exato segue mudando; entenda