Imagem da matéria: Bleutrade inicia suas operações em Malta

A Bleutrade, uma das primeiras exchanges de criptomoedas do mundo, confirma sua presença em Malta.

A empresa, com base inicialmente no Brasil, surgiu em 2014 no mercado de moedas digitais como uma Exchange inovadora, trabalhando com uma plataforma destinada a simplificar trades entre criptomoedas. É a primeira Exchange da América Latina a anunciar a abertura de um escritório em Malta e leva consigo quase 300 mil usuários.

Publicidade

“Passamos um período imerso em estudos sobre a legislação, fechamento de parcerias e participação em eventos com o governo. Agora a Ilha de Malta será palco de um novo começo repleto de novidades”, disse Marlos Jennis, responável pelas Relações Internacionais da Bleutrade.

Acesse o site  https://bleutrade.com

De acordo com Felipe Melo, CEO, essa transição surge no momento em que a região Mediterrânea apresenta formas verdadeiras de se tornar um dos primeiros centros de referência mundial para empresas do ramo de blockchain e criptoativos: “Passamos por alguns países e escolhemos Malta principalmente pela segurança jurídica, que nos trará mais liberdade ao iniciar novos serviços, além dos recursos humanos da ilha com grande potencial”.

Os reguladores, de forma geral, têm intensificado a repressão às exchanges de criptomoedas desde o início de 2017, causando dificuldades em diversos aspectos nas operações. Após o comunicado do Prime Minister Joseph Muscat, afirmando que “Malta pretende ser a pioneira global na regulamentação de negócios baseados em blockchain e a jurisdição de qualidade e de escolha para empresas de fintech de classe mundial”, a Bleutrade se mostra empenhada a fazer parte desse mundo progressivo que possibilitará a escrita de nova história para seus usuários.

A Bleutrade pretende ainda adicionar moeda fiat (Dólar e Euro) à sua plataforma, uma vez que esteja instalada no Mediterrâneo. A exchange hoje não trabalha com a moeda Real, mas parece ter firmado parceria com com a nova BitRecife, com base no Brasil, para possibilitar transferências de criptos sem taxas de mineração.

Marcos Vinicius, advisor da Bleutrade, afirma que o cenário busca por um local com jurisdição amigável para o setor de criptomoedas, ponto principal que levou a Bleutrade a se estender à ilha. Por Malta apresentar-se em um passo à frente de uma tendência de mercado,  atraiu as grandes exchanges do mercado, tais com Binance, Okex e agora a Bleutrade.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Imagem da matéria: Ex-diretor da FTX é condenado a 7,5 anos de prisão — mas poderá ficar com seu Porsche

Ex-diretor da FTX é condenado a 7,5 anos de prisão — mas poderá ficar com seu Porsche

Ryan Salame, o ex-colaborador da FTX de Sam Bankman-Fried, foi condenado a 90 meses de prisão nesta terça-feira
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin têm entrada de US$ 303 mi, impulsionados por Fidelity e Grayscale

Os fluxos de entrada de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA atingiram uma alta de US$ 303 milhões em duas semanas, já que o preço do Bitcoin ultrapassou US$ 66 mil
criptomoedas, criptoativos, regulação, Brasil, projeto de lei

Banco Central anuncia próximos passos da regulamentação do mercado cripto no Brasil

Sem definir datas, BC diz que irá fazer mais uma consulta pública no segundo semestre e um planejamento interno sobre stablecoins