Homem segura moeda de bitcoin em meio a gráfico de alta
Foto: Shutterstock

O preço do Bitcoin (BTC) não sofreu muita alteração após o Fed, o Banco Central dos EUA, anunciar um aumento de 0,50 ponto percentual na tarde desta quarta-feira (14). Com a elevação, a sétima consecutiva no ano, a taxa passa ao intervalo entre 4,25% e 4,50%, comentou o Estadão.

No momento da escrita, o BTC é negociado em US$ 17.818.65, de acordo com dados na plataforma CoinMarketCap; no Brasil, a maior criptomoeda do mercado é cotada em R$ 95.813,94, segundo dados o IPB.

Publicidade

No entanto, o preço do BTC bateu a casa de US$ 18.000 pela primeira vez desde que a exchange de criptomoedas FTX explodiu. Por volta das 14h desta quarta, o BTC se mantinha em alta de 1,77% no período de 24 horas e 7,70% no decorrer dos últimos 7 dias, sendo cotado em US$ 18.113 — em real R$ 95.959.

Segundo o Decrypt, a última vez que o Bitcoin negociou tanto foi em 8 de novembro — o dia em que a bomba FTX caiu. Desde então, vinha oscilando entre US$ 16.000 e US$ 17.000.

(Fonte: Coinmarketcap)

No início de novembro, as coisas estavam melhorando para o ativo, sendo negociado acima de US$ 21.000 e com tendência de alta. Então as coisas mudaram.

A FTX, que já foi uma das maiores exchanges de ativos digitais do planeta, faliu no mês passado, derrubando grandes empresas de criptomoedas como a BlockFi, bem como os preços das criptomoedas.

Publicidade

Após a notícia de seu colapso, os investidores correram para obter ativos voláteis, trazendo mais caos para o que já era um mercado muito volátil este ano. 

O Bitcoin atingiu uma mínima de dois anos após a notícia, e o mercado demorou a se recuperar à medida que o contágio se espalha para empresas como a Genesis, um credor de criptomoedas de propriedade da gigante digital Digital Currency Group .

Embora esta recente valorização, o Bitcoin ainda está sofrendo com o brutal mercado de baixa deste ano: em novembro do ano passado, o BTC valia 73% a mais do que agora — quando atingiu US$ 69.044.

O Ethereum, o segundo maior ativo digital, também está em alta hoje: os dados da CoinGecko mostram que está sendo negociado por US$ 1.318, um aumento de 6% nos últimos sete dias. 

Publicidade

No entanto, outras criptomoedas não estão indo muito bem. Dogecoin, por exemplo, o nono maior ativo digital por capitalização de mercado, caiu mais de 9% na semana passada, com preço de US$ 0,09.

Bitcoin e outras grandes criptomoedas seguiram em grande parte as ações dos EUA este ano porque são consideradas ativos de maior risco.

Quando o Federal Reserve aumentou as taxas de juros para controlar a inflação, os investidores geralmente venderam ações dos EUA, bem como Bitcoin e outros ativos digitais. 

E hoje não é diferente: o S&P 500 e o Nasdaq 100 estão em alta na esperança de que o Fed provavelmente anuncie em uma reunião que vai diminuir o ritmo dos aumentos das taxas de juros.

*Com informações do Decrypt.

Participe da comunidade de WEB3 que mais cresce no Brasil. Clique aqui e venha conversar no Discord com os maiores especialistas do país.

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Joe Biden promete vetar resolução que visa frear política anticripto da SEC

Joe Biden promete vetar resolução que visa frear política anticripto da SEC

A Casa Branca disse que vetaria uma resolução aprovada hoje pela Câmara dos EUA “para impedir a tomada de poder regulatório da SEC”
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Imagem da matéria: Bitso lança carteira Web3 para facilitar conexão com aplicativos DeFi

Bitso lança carteira Web3 para facilitar conexão com aplicativos DeFi

Bitso Web3 Wallet suporta Ethereum, Polygon, Arbitrum, Base e Optimism e permite acesso a mais de 2 mil tokens
Imagem da matéria: Governo proíbe uso de  criptomoedas em apostas esportivas

Governo proíbe uso de criptomoedas em apostas esportivas

Secretaria de Prêmios e Apostas vetou o uso de criptomoedas para apostas e pagamentos