Imagem da matéria: Bitcoin Cai Abaixo dos US$ 7.000

Na tarde desta segunda feira, após atingir mais um recorde de preço no final de semana, quando chegou a US$ 7.600, o Bitcoin operou em queda e chegou a ser cotado abaixo dos US$ 7.000.

Gráfico BTC/USD da Bitstamp

Neste momento ele já opera acima dos US$ 7.000 nas principais exchanges do mundo.

Publicidade

No Brasil o preço saiu dos R$ 25.600 e chegou a R$ 22.700, uma queda superior a 10% em questão de poucas horas.

Gráfico BTC/BRL da Foxbit

Mesmo com a queda, o bitcoin valorizou 15% nos últimos sete dias e 60% nos últimos 30 dias.

Muitas altcoins operam em alta, com destaque para NEM, Monero e Ethereum Classic, que valorizaram mais de 10% nas últimas 24 horas.

O Bitcoin continua representando 60% do mercado de criptomoedas até o momento, com um valor de mercado próximo dos US$ 200 Bilhões.

Leia Também: Analista Aumenta sua Projeção do Bitcoin para US$ 11.000 em 2018

 

BitcoinTrade

Compre e venda Bitcoin na primeira e única corretora de Bitcoin do Brasil com certificação PCI DSS nível 2, que atende aos requisitos máximos de segurança nas transações. Acesse: https://www.bitcointrade.com.br/

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de moeda NOT dourada com logotipo do jogo Notcoin do Telegram

Manhã Cripto: Bitcoin entra em compasso de espera, mas Notcoin dispara 5%

Notcoin, um jogo Play-to-Earn no Telegram, anunciou que sua base total de jogadores agora é de 40 milhões
Edificio do BCE

Manhã Cripto: Bitcoin segue alta e busca máxima histórica com corte de juros na Europa

Banco Central Europeu (BCE) reduziu 25 pontos percentuais de cada uma das suas três principais taxas de juros
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin cai 3% antes da decisão sobre taxa de juros e relatório de inflação dos EUA

Manhã Cripto: Bitcoin cai 3% antes da decisão sobre taxa de juros e relatório de inflação dos EUA

Federal Reserve não deve cortar taxa de juros, já que os dados da inflação ainda não estão no cenário ideal para as autoridades dos EUA
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte