Imagem da matéria: Bitcoin cai abaixo dos US$ 10.000 dois dias após superar US$ 12.000; o que explica a queda
Bitcoin atinge menor preço de 2019 enquanto criptomoedas despencam (Foto: Shutterstock)

Após negociar em forte queda durante toda a quinta-feira, o Bitcoin perdeu os US$ 10.000 às 20h31 e foi negociado até US$ 9.991 nos minutos seguintes.

O bitcoin abriu o dia cotado a US$ 11.446 e acumula queda de 12,4% em dólar até às 21h. No mercado brasileiro, o BTC abriu em R$ 62.336 e bateu a mínima de R$ 55.579 às 20h55, com queda de 10,55% no dia.

Publicidade

Um dos motivos que podem estar relacionados a recente queda foi um fluxo repentino de bitcoins ligados a mineradores sendo depositados em exchanges.

De acordo com a CryptoQuant, uma empresa de análise de dados de blockchain, o rastreamento dos principais pools de mineração de bitcoin mostrou um aumento na quantidade de bitcoin sendo transferido para fora – aparentemente também para exchanges a caminho de uma possível venda.

Ki Young Yu, fundador da CryptoQuant, disse ao CoinDesk que “Os mineradores são bons traders. Acho que eles estão apenas procurando oportunidades de venda, não capitulação. Eu acho que vai ser a guerra dos mineradores entre aqueles que querem uma alta no preço do bitcoin e aqueles que não querem. Algumas mineradoras chinesas já percebem sua lucratividade de mineração (ROI) e podem não querer novos concorrentes de mineração entrando na indústria por causa do mercado em alta.”

Na quarta-feira (02), a Chainalysis informou que as exchanges haviam tido um influxo 92.000 BTC, o maior nível visto nos últimos 37 dias. “Os envios aumentaram à medida que as pessoas correram para vender perto dos US$ 12.000”, disse Philip Gradwell, Economista Chefe da Chainalysis no Twitter.

Publicidade

Apesar desse recente movimento de baixa, o bitcoin segue em forte tendência de alta, com valorização acumulada de 41% no ano. Do lado técnico, o poder de mineração também atingiu novas máximas há duas semanas atrás, mostrando um aumento no investimento focado no longo prazo do ativo.

Mercado despenca

Acompanhando o bitcoin, as principais criptomoedas despencam com perdas que chegam a 40%. Os mais afetados são os tokens de plataformas DeFi, que vinham acumulando expressivas altas durantes os últimos dias.

Ampleforth opera em queda de 41%, seguido por 34,5% do SushiSwap. A Chainlink, principal plataforma DeFi, cai 17,9%.

Entre as criptomoedas tradicionais, Ethereum cai 12%, impulsionada pelas altas taxas da rede fruto da alta demanda de gas das plataformas DeFi. Binance Coin, Bitcoin Cash e Litecoin perdem 17,1%, 15,9% e 16,4% respectivamente.

VOCÊ PODE GOSTAR
Baleia dourada envolto a moedas de bitcoin

Baleia adormecida por 14 anos movimenta R$ 17 milhões em Bitcoin

As transações dos 50 BTCs oriundos da recompensa de bloco em 2010 ocorreram nesta manhã de segunda-feira (15)
Ilustração de moeda gigante de Bitcoin observada por investidores e prestes a ser cortada ao meio

Como será o futuro do Bitcoin à medida que recompensas aos mineradores ficam cada vez menores?

O que vai acontecer em 2140, quando os mineradores de Bitcoin não ganharem mais recompensas por blocos minerados?
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação
Casa à beira de rio no Butão

Governo de Butão vai intensificar mineração de Bitcoin no Himalaia com investimento de R$ 2,5 bi

O governo do país asiático vai apostar em hardwares de ponta para compensar os efeitos do halving do Bitcoin que acontece este mês