Imagem da matéria: Banco Central da Holanda determina que exchanges de criptomoedas se registrem até 2020
Foto: Shutterstock

O banco central da Holanda, ‘De Nederlandsche Bank’ (DNB), anunciou na terça-feira (03) que as exchanges de criptomoedas deverão se registrar no órgão até 10 de janeiro de 2020.

A determinação é para todas, independentemente se estão cadastradas ou não no país. “As empresas que não se registrarem não terão mais permissão para fornecer serviços de troca ou de carteiras de criptomoedas”, destacou.

Publicidade

A ação, segundo a autarquia, é para se adequar às leis antilavagem de dinheiro da União Europeia chamada ‘5ª Diretiva’ (AMLD 5) que também será implementada no país.

“É necessário supervisionar as empresas de criptomoedas sob essa diretiva e sua implementação na lei holandesa”, escreveu o órgão.

A AMLD 5, sigla para ‘Anti-Money Laundering Directive’ (Diretiva Antilavagem de Dinheiro) é uma lei definida pela União Europeia em 09 de julho de 2018.

Os estados-membros vão ter que passar a cumpri-la a partir de 10 de janeiro de 2020 — nela incluiu-se normas para o mercado de criptomoedas.

“Especificamente, as empresas que oferecem serviços de troca entre criptomoedas e dinheiro e de custódia de criptoativos (carteiras) devem se registrar no De Nederlandsche Bank”, escreveu a autarquia em comunicado.

Publicidade

Acrescentou, também, que o DNB vai avaliar os membros do conselho das empresas, bem como seus acionistas para garantir que o negócio não está projetado para atividades ilegais.

Outro ponto é referente ao passado das empresas. Segundo a autarquia, isso também será levado em conta.

Reconheceu crescimento do mercado

O DNB reconheceu o crescimento do setor de criptomoedas e sua evolução, mas também seus riscos financeiros, ressaltando as várias vezes em que o órgão alertou o público.

Por se tratar de um novo setor, o período inicial de registro vai ter a duração de seis meses, sendo que nesse espaço de tempo as corretoras deverão cumprir todos os requisitos já definidos.

“Se no momento em que a lei entrar em vigor você não tiver apresentado o pedido de registro, deverá interromper o serviço”, alertou.

Publicidade

Regulação de exchanges no Brasil

No mês passado, em entrevista exclusiva ao Portal do Bitcoin, o senador Flávio Arns (Rede/PR), autor do projeto no Senado que busca regular as corretoras de criptomoedas, falou sobre a regulamentação do mercado no Brasil.

“É preciso regular as corretoras brasileiras de criptomoedas e proteger os clientes”, disse.

Arns falou sobre as questões regulatórias e sobre a proposta de aumentar a punição para quem usa exchanges em esquemas fraudulentos e condenou o uso do termo ‘banco’ pelas empresas do setor.

Isso, na sua visão, ilude o consumidor que acredita se tratar de “uma atividade bem definida, supervisionada e garantida pelo Banco Central”.

Sobre regular as corretoras — como deve acontecer na Holanda — o deputado discorreu:

“A gente tem a necessidade de proteger o consumidor, a ordem financeira e a economia. A gente tem de suprir essa ausência de fiscalização e supervisão das exchanges que comercializam moedas digitai”.

Para o deputado, a ação deve ser realizada de maneira articulada com as associações nacionais que as representam.

Segundo ele, o objetivo não é interromper a atividade e sim regular, “evitando risco de fraudes como as que vem sendo muito ventiladas sobre pirâmides financeiras, evasões de divisas e lavagem de dinheiro”.

Publicidade

Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: Itaú passa a oferecer compra e venda de Bitcoin e Ether

Itaú passa a oferecer compra e venda de Bitcoin e Ether

Maior banco privado do país, Itaú passa a negociar criptomoedas a partir de sua plataforma íon e compras mínimas de R$ 10
Imagem da matéria: Ex-líder da pirâmide Minerworld é condenado a um ano de prisão por posse ilegal de arma

Ex-líder da pirâmide Minerworld é condenado a um ano de prisão por posse ilegal de arma

Cícero Saad Cruz foi um dos líderes da Minerworld, empresa que deu um calote de quase R$ 50 milhões em clientes
Imagem da matéria: Mercado Bitcoin promove Amigo Secreto MB, ação inédita com influenciadores digitais financeiros

Mercado Bitcoin promove Amigo Secreto MB, ação inédita com influenciadores digitais financeiros

Campanha de fim de ano também contará com lançamento de produtos de Renda Fixa Digital para diversificação de investimentos
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Senado aprova projeto de lei que cria imposto para criptomoedas mantidas em corretoras fora do Brasil

Alíquota de 15% faz parte de um plano mais amplo de tributar fundos exclusivos e offshores de brasileiros mantidos no exterior