Homem preto sorrindo segura em ambas as mãos moedas de bitcoin
Foto: Shutterstock

O programa de educação financeira da AfroBit_Lab, voltado para a população negra e com o tema Bitcoin, acaba de formar 25 alunos. Eles agora vão atuar como instrutores na área e multiplicar o conteúdo aprendido ao longo dos próximos meses. Na primeira edição, o programa foi composto por um grupo de alunos diversos, com mulheres, homens, pessoas da comunidade LGBTQIAP+, afroindígena e pessoas com deficiência.

Os formandos agora vão difundir a educação financeira e o que aprenderam sobre o Bitcoin, a maior criptomoeda do mundo. “Eles irão oferecer masterclasses gratuitas e online sobre o tema através do canal do Youtube da Escola da Ponte para Pretxs”, afirmou a organização.

Publicidade

O AfroBit_Lab é uma iniciativa de duas entidades: Paxful, uma plataforma de finanças peer-to-peer que permite pagamentos com bitcoin; e da Escola da Ponte para Pretxs, do instituto GUETTO, organização que cria soluções em diversidade para o empoderamento de pessoas negras no setor público e privado no Brasil.

No mês passado, a equipe do AfroBit_Lab liberou as aulas para todos os inscritos no curso. Até então, a iniciativa permitia o acesso ao conteúdo apenas aos selecionados no processo seletivo. No curso, os alunos aprendem também sobre educação anti-racista, teoria e prática sobre o Bitcoin, inglês e aulas optativas de análises de dados.

Aulas gratuitas sobre Bitcoin

Segundo a organização, a próxima fase do projeto contará novas aulas gratuitas online e abertas a todos, durante os meses de outubro, novembro e dezembro. “Os formandos seguirão difundindo conhecimento oferecendo mais três masterclasses online, com datas a serem definidas e divulgadas pelas redes sociais do projeto”, diz a nota. E acrescenta:

“O objetivo é atingir o máximo de público, que terá acesso ao conteúdo transmitido remotamente e de forma gratuita. Todos os mediadores estão preparados para apresentar o tema da educação financeira de forma prática, sugerindo como aplicar as possibilidades do  Bitcoin, bem como as tecnologias que o envolve no dia a dia”.

Publicidade

A líder global de comunidade e educação na Paxful, Renata Rodrigues, afirma que por meio da AfroBit_Lab a empresa tem expandido seu compromisso global com a educação sobre o Bitcoin.

“O Bitcoin é uma das ferramentas mais poderosas do mundo para a liberdade financeira. Juntos, o Instituto GUETTO e a Paxful estão construindo oportunidades financeiras reais para pessoas reais que muitas vezes são deixadas para trás pelo sistema financeiro tradicional”, disse.

“A partir do conhecimento em Bitcoins, percebemos que há oportunidade da população preta adquirir mais rentabilidade, aprender a se capitalizar e ter autonomia financeira. Este é um dos nossos maiores objetivos na parceria com a Paxful para a construção do AfroBit_Lab”, comentou também Alabê Nunjara, diretor de Políticas Públicas e Relações Internacionais do Instituto Guetto.

Procurando uma corretora segura que não congele seus saques? No Mercado Bitcoin, você tem segurança e controle sobre seus ativos. Faça como nossos 3,8 milhões de clientes e abra já sua conta!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Memecoins da TON sobem apesar de fraqueza do mercado cripto

Memecoins da TON sobem apesar de fraqueza do mercado cripto

Memecoins criadas na TON, como The Resistance Cat, tiveram alta de até 50% no domingo, recuperando parte das perdas recentes
Maquinas mineração de Bitcoin apreendidas em La Colmena, Distrito de Paraguarí

Paraguai apreende centenas de máquinas de mineração de Bitcoin em nova ofensiva ao setor

Autoridades já confiscaram mais de 9.000 mil equipamentos nas últimas semanas
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum continuam queda e quase meio bilhão de dólares são liquidados

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum continuam queda e quase meio bilhão de dólares são liquidados

Cerca de 200 mil traders foram liquidados nas últimas 24 horas, com o Ethereum liderando o fluxo geral de liquidações
Celular com logotipo da BInance

Binance vai distribuir US$ 2 milhões para tentar apaziguar traders deixados de fora de airdrop

Iniciativa ocorre após usuários antigos do ZKsync Era terem ficado de fora da distribuição de tokens