Venezuelanos têm uma nova maneira de enviar criptomoeda sem precisar da internet

Uma corretora venezuelana de criptomoedas desenvolveu um serviço que suporta transferências de bitcoin via mensagens de texto SMS. A esperança é estimular uma adoção mais ampla do mainstream.

Volume de negociação de bitcoin dispara na Venezuela
(Foto: Shutterstock)


O serviço de internet ruim não será mais um obstáculo para os venezuelanos usarem criptomoedas. A corretora venezuelana Criptolago anunciou no início desta semana o lançamento de um serviço que processa transações de criptomoedas por meio de uma mensagem de texto – nenhuma conexão com a Internet é necessária.

Segundo a exchange, a iniciativa foi lançada em resposta a um pronunciamento do presidente Nicolas Maduro, que pediu às empresas para desenvolver mecanismos de pagamento paralelos ao sistema bancário tradicional. O presidente enfatizou a necessidade de criar sistemas de pagamento offline compatíveis com a nova criptomoeda Petro.

Mas a petro não é a única disponível pela Criptolago. A empresa ativou transações offline para todos os tokens listados em sua plataforma. Em outras palavras, os venezuelanos agora podem enviar Petro, Bitcoin, Litecoin, Dash e Glufco (o token de mesmo nome do banco venezuelano investimento cripto) sem a necessidade de uma conexão à Internet. A plataforma também habilitou um módulo para transações em bolívares – a moeda fiduciária nacional.

Por enquanto, o serviço está disponível apenas para usuários registrados, mas o processo de integração permanece relativamente fácil. O verdadeiro problema para os venezuelanos pode ser encontrar uma cotação agradável para seus Petros.

O preço real do token é muito instável para funcionar como um método prático de troca. Por exemplo, enquanto as fontes oficiais do governo dizem que o Petro vale US$ 58,9 por token, o Petro foi negociado hoje por aproximadamente US$ 11,50 na corretora cripto Amberes. Na Criptolago, de acordo com o portal de notícias Morocota Coin, o Petro atingiu US$ 20 por token no mesmo dia.

O Criptolago é talvez a plataforma mais especializada da Venezuela em oferecer soluções avançadas para promover o uso de criptomoedas no país. Antes de lançar uma opção para pagamentos offline, a plataforma fez uma parceria com a Glufco, uma processadora de pagamentos de cripto venezuelana, para oferecer a seus clientes pontos de venda que lhes permitiam processar pagamentos de criptomoedas com um cartão semelhante aos cartões de débito ou crédito hoje amplamente utilizados.

Uso de criptografia na Venezuela

Mas mesmo antes do Criptolago, os venezuelanos enviavam criptomoedas com mensagens de texto desde 2018. A solução mais popular no momento é o Dash Text – uma carteira offline promovida pelo Dash Core Group.



Atualmente, existem mais de 8.000 carteiras ativas e habilitadas nos Estados Unidos, Colômbia, Espanha, Brasil e Venezuela, de acordo com a Dash. Os usuários precisam enviar apenas uma mensagem de texto e a plataforma Dash Text processa a transação em tempo real.

Mas, embora pareça promissor, os pagamentos offline ainda têm um longo caminho a percorrer antes de se tornarem populares. A Dash Text registrou cerca de 6.456 transações off-line desde janeiro de 2019. Dessas transações, a grande maioria (6.105) veio da Venezuela.

Ernesto Contreras, chefe de desenvolvimento de negócios da Dash na América Latina, disse ao Decrypt que a Dash realiza cerca de quatro transações off-line por dia, em média – uma queda acentuada em relação às mais de 30 por dia anteriores à queda do mercado em meados de março.

“A queda no preço do Dash está fazendo com que menos pessoas queiram gastar”, disse Contreras. “Além disso, ficamos sem fundos por dois meses, portanto não podíamos continuar com algumas atividades que tínhamos em andamento. Em fevereiro, fomos financiados novamente, elevando para 300 [transações] – 10 vezes por dia. Mas [em] março, com o coronavírus, tudo parou ”, disse ele.

O Criptolago ainda não compartilhou as estatísticas de uso, no entanto, seu desenvolvimento pode gerar resultados positivos. Considerando o quão instável é a conectividade com a Internet na Venezuela, bem como a hipervalorização de sua moeda nacional, os pagamentos offline com criptomoedas podem ser exatamente o que acontece em um país onde não ter dinheiro em um banco se tornou uma questão de sobrevivência.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt Media

BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br