Demanda pelo PIX é a mesma que gerou as criptomoedas, diz presidente do BC do Brasil

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central
Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, durante o LiftDay 2020. (Foto: Reprodução/YouTube)


O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, voltou a exaltar nesta quinta-feira (12) a tecnologia e as criptomoedas durante a abertura do LiftDay 2020, evento sobre inovações em tecnologia da informação ligadas ao Sistema Financeiro Nacional, que ocorre em Brasília.

De acordo com Campos Neto, as entregas que o BC tem feito e ainda fará nos próximos meses visam adequar o Brasil às demandas tecnológicas no meio financeiro. Uma delas, diz ele, gerou as criptomoedas, como o bitcoin:

“Nós no Banco Central temos importantes entregas para fazer no escopo do BC. A primeira é o PIX, onde queremos ter um sistema que atenda toda essa demanda do mundo moderno, demanda inclusive que gerou as criptomoedas. Um sistema que seja rápido, seguro e barato. E o PIX atende todos esses requisitos”.

O PIX, sistema de pagamentos instantâneos em desenvolvimento pela autoridade monetária nacional e que deve sair em novembro. Ele prevê que pagamentos sejam processados em até 10 segundos, agilizando uma série de procedimentos que dependem de compensação bancária, entre outros avanços.

Outro ponto da agenda de modernização empreendida pela autoridade monetária nacional é o Open Banking. Trata-se de uma premissa que incentiva grandes bancos e fintechs a participarem de um ecossistema conectado para melhorar a experiência do cliente.

Agenda BC#

Tanto o PIX quanto o Open Banking estão inseridos na chamada Agenda BC#, que visa fomentar a competitividade e a inovação no sistema financeiro brasileiro —e, consequentemente, gerar melhores oportunidades e opções para clientes.

“Queremos um sistema que seja instantâneo, interoperável e aberto. E esses sistemas [PIX e Open Banking] precisam se encontrar o mais rápido possível”, afirmou Campos Neto.



Além de Campos Neto, a programação do evento inclui a participação de vários diretores do Banco Central, como Otávio Damaso (Regulação), João Manoel Pinho de Melo (Organização do Sistema Financeiro e Resolução) e Carolina de Assis Barros (Administração).

O evento vai até às 18h desta quinta-feira. Os debates, discussões e mesas redondas poderão ser acompanhados pelo canal do Banco Central no YouTube.

O que é o Lift

O Lift é um laboratório virtual promovido pelo BC que promove protótipos de inovação financeira e tecnológica. O objetivo é fomentar projetos de pesquisa de inovação relacionados à indústria financeira.

O evento desta quinta-feira apresenta os projetos participantes da edição 2019 do Lift. A edição seguinte do laboratório está com inscrições abertas até 20 de abril, que podem ser feitas por meio do portal do Banco Central

‘Efeito coronavírus’

O evento inicialmente seria aberto ao público, mas o Banco Central decidiu fechá-lo como medida preventiva para evitar o risco de propagação do coronavírus.

Na última quarta-feira (11) a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou pandemia devido à disseminação global do vírus. Até o momento são 124 mil pessoas atingidas em todo o mundo e cerca de 4,6 mil mortos.

O Brasil tem 52 casos confirmados do coronavírus, segundo informações divulgadas pelo Ministério da Saúde por volta das 17h de quarta-feira.

O coronavírus também tem impactado negativamente a cotação do bitcoin. O preço caiu quase US$ 1.600 em apenas 15 minutos nesta manhã de quarta-feira (12). Às 7h30, o preço saiu de US$ 7.271 e registrou US$ 5.683 nos minutos seguintes.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br