A correção do mercado de criptomoedas continua após semanas registrando novos recordes. O Bitcoin caiu brevemente para US$ 43.796, com queda de 7% nas últimas 24 horas, cobrindo uma semana sombria que reduziu cerca de 25% do seu preço. No Brasil, o preço chegou a R$ 247 mil após registrar máxima de R$ 320 mil na semana passada.

Por que a queda? Os eventos macroeconômicos podem ser os culpados. Na quinta-feira, os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos atingiram seu nível mais alto em mais de um ano antes de se estabilizarem, mas não antes de fazer com que os investidores de varejo se retirassem dos ativos de alto risco, como criptomoedas. As criptos não foi o único ativo a sofrer. Ações de tecnologia tiveram uma forte queda.

O Ethereum também continua caindo. Ontem, a moeda estava avaliada em US$ 1.500. Hoje, caiu mais de 6% para seu novo preço de US$ 1.382, representando um declínio de 30% em sete dias. Para se ter uma ideia de quão acentuada é sua perda, considere que o Ethereum estava sendo negociada a US$ 2.000 no último fim de semana.

O token ADA da Cardano é a única criptomoeda a resistir à queda neste fim de semana. ADA atingiu sua máxima de US$ 1,48 ontem. Mas mesmo assim, está no vermelho hoje. Afundou 11% durante a noite a um preço de US$ 1,29. Isso a coloca 12% mais alto do que no fim de semana passado, mas parece que a empolgação com o hard fork do próximo mês está acabando.

A Polkadot e a Uniswap perderam a maior parte do valor durante a noite. A DOT caiu 7% para um preço de US$ 32. Assim como o Bitcoin, ela sofreu uma queda de 20% no preço desde a semana passada. UNI caiu para US$ 21,95, uma perda de quase 9% no último dia e 30% mais barato do que no domingo passado.

O XRP é negociado a US$ 0,42, embora tenha caído apenas 2% nas últimas 24 horas.

Chainlink, Litecoin, Uniswap e Bitcoin Cash caíram impressionantes trinta por cento desde o último domingo. O LINK da Chainlink atualmente está em US$ 24,52, 3% abaixo desde ontem. Litecoin e Bitcoin Cash caíram 5% na noite passada, com o LTC atingindo um preço de US$ 164 e o BCH chegando a US$ 464.

Também houve escassez de notícias sobre investimentos institucionais em cripto esta semana. A Tesla estabeleceu um padrão extremamente alto no início do mês, quando um documento da SEC revelou que a empresa havia investido US $ 1,5 bilhão de seus fundos em Bitcoin. Da mesma forma, a maior empresa de gestão de ativos do mundo, BlackRock, que controla quase US$ 9 trilhões em ativos sob sua gestão, anunciou por meio de seu CIO que agora está “brincando” com Bitcoin.

A grande notícia para os investidores convencionais neste mês foi que o Canadá lançou dois Exchange Traded Funds (ETFs) para investidores interessados ​​em negociar Bitcoin usando um instrumento financeiro tradicional auditável. O primeiro ETF, lançado pela Purpose Investments, levantou quase meio milhão de dólares em ativos sob gestão nos primeiros dois dias. Nos últimos três dias, arrecadou apenas US$ 60 milhões.