Imagem da matéria: Netflix, Amazon Prime e YouTube: filmes e documentários para desvendar o universo das criptomoedas
Foto: Shutterstock

Os serviços mais populares de streaming de vídeo possuem diversos conteúdos sobre criptomoedas. O Portal do Bitcoin selecionou filmes e documentários na Netflix, Amazon Prime e YouTube que se propõem a desvendar o universo cripto.

A maior parte deles é direcionado para um público iniciante. Mas nem todos.

Publicidade

Alguns documentários abordam de forma mais profunda a história do Bitcoin, contando como a rede foi criada e passou de uma comunidade unida para um universo com brigas e confusões. Há quem arrisque até mesmo a explicar as origens da criptografia na internet nos anos 90.

Confira o que tem melhor para assistir em cada plataforma:

Amazon

A Amazon parece ter uma abertura especial para conteúdos sobre criptomoedas. Três documentários e um filme com Kurt Russel estão no catálogo.

Além disso, a série documental brasileira “Hackers” tem um episódio inteiro em sua segunda temporada sobre criptomoedas.

“Cryptopia: Bitcoin, Blockchains, and the Future of the Internet”

Direção: Torsten Hoffmann
Lançamento: 7 de maio de 2020

Trata-se da continuação de um documentário feito cinco anos antes que, infelizmente, não está na plataforma. É o filme que trata com mais densidade sobre o tema, saindo do beabá sobre blockchain e mineração e entrando em detalhes específicos do mundo das criptomoedas.

O diretor, Torsten Hoffmann, claramente é um estudioso do tema e busca contradições ao fazer com que seus entrevistados sejam confrontados com previsões feitas no primeiro filme que não chegaram próximas de se materializarem.

No primeiro filme foi dito que as transações seriam rápidas e quase gratuitas, o que, segundo Hoffmann, estava longe de ser verdade quando o segundo documentário foi feito.

Publicidade

É neste ponto que o filme entra na disputa entre figuras notórias do mercado de Bitcoin, como Roger Ver (dono do site Bitcoin.com) e Samson Mow, presidente da Blockstream. O documentário mostra como as controvérsias entre os entusiastas originais levou à criação do Bitcoin Cash.

Assista abaixo ao trailer:

“Magic Money: The Bitcoin Revolution”

Direção: Tim Delmastro
Lançamento: 25 de Janeiro de 2017

Lançado antes da primeira alta violenta de preços do bitcoin em 2017, esse documentário já soa como datado. O filme foca basicamente no bitcoin como meio de troca, mas é uma boa introdução ao que são criptomoedas, como funciona o blockchain e o que é a mineração.

Quatro anos depois, o bitcoin é cada vez mais utilizado como uma reserva de valor e um meio de proteção contra inflação.

O documentário mostra dentistas, donos de café, músicos de rua, recebendo por seus serviços e produtos em bitcoin e mostrando como esse seria um caminho próximo de ser atingido. Diversas vezes mostra como são simples e rápidas as operações e que isso naturalmente faria com que fosse adotado como meio de troca usual.

Publicidade

Esse ativo era tão percebido como mais um meio de troca que um entrevistado, Jerry D. Chan, ex-vice-presidente do Goldman Sachs, saca bitcoins de um caixa eletrônico e os recebe por meio de um recibo com QR Code. O economista explica como funciona, mostra o papel para a câmera e diz: “Aliás, se você escanear esse código e for o primeiro a fazer isso, esses bitcoins serão seus”.

Apesar de bem explicativo, o filme se perde em seu entusiasmo: o polêmico Roger Ver aparece pregando o bitcoin como panaceia para todos os males do mundo. O documentário quer fazer acreditar que é a solução para o fim da pobreza na África, mostrando imagens de escolas precárias do continente com uma narração triunfante por cima.

Assista abaixo ao trailer:

“Banking on Africa – The Bitcoin Revolution”

Direção: Tamarin Gerriety
Lançamento: 22 de maio de 2020

O título é ousado e sugere que o continente africano estaria prestes a uma revolução por conta do uso do bitcoin. Essa revolução passaria ao largo dos Estados e seria conduzida pelos indivíduos. Um dos entrevistados chega a dizer que caberia a cada um decidir promover evasão fiscal ou não.

Apesar do tom absolutamente deslumbrado, o filme se segura pela força de seus personagens.

Um entrevistado promove um projeto para que pessoas ao redor do mundo paguem pela eletricidade de escolas na África por meio do bitcoin. Aparelhos conectados nas redes locais de energia elétrica recebem a criptomoeda, registram a operação na blockchain e enviam para o sistema de pré-pagamento da fornecedora de energia elétrica.

O resultado é uma escola iluminada e funcionários emocionados. Mas passado o impacto inicial, é impossível não perceber a cena mais como um teatro para a sala lotada de alunos do Massachusetts Institute of Technology (MIT) em Boston, que estão vendo o experimento ao vivo por uma transmissão on-line, do que uma alternativa viável a uma política pública consistente, que vise em acabar com o problema do fornecimento de energia elétrica em locais remotos.

Publicidade

De longe o mais interessante é a história da cidadã de Botsuana, que começou a aprender sobre bitcoin ao tentar fazer trabalhos on-line enquanto buscava ajuda médica para o filho na África do Sul. A criança morreu e a mulher caiu em diversos golpes, mas perseverou. Com o tempo, comprou uma pequena fazenda e um carro com a renda vinda do bitcoin e passou a se dedicar a ensinar as pessoas sobre a tecnologia.

Veja abaixo o trailer:

“Hackers – Criptomoedas” (2ª temporada, episódio 5)

O episódio sobre criptomoedas da série “Hackers” é destinado para quem ainda não tem nenhum (ou quase nenhum) contato com o tema. Explica o que são as criptomoedas, o blockchain, a mineração e os custos financeiros.

A série é interessante por apresentar visões divergentes, de entusiastas maximalistas até advogados receosos com o uso das criptos para ocultação de valores, até um debate sobre se é mais caro ou não fazer transação em bitcoin do que no sistema de cartão de crédito tradicional.

Episódio da série “Hackers” da Amazon explica princípios básicos das criptomoedas (Foto: Reprodução)

“Crypto”

A sinopse do filme conta que “com o atual aumento da criptomoeda, as pessoas encontram maneiras de explorar o sistema e a economia global. Depois de descobrir evidências de fraude, um jovem agente chamado Martin é incumbido de seguir uma longa trilha de corrupção e roubo. Durante sua investigação, ele descobre que as pessoas envolvidas são mais poderosas do que ele jamais poderia imaginar”.

O grande trunfo do longa é ter Kurt Russell em seu elenco, mas a nota no IMDB, uma das redes mais populares de avaliação de cinema da internet, é apenas 5,3.

Veja o trailer:

Netflix

A Netflix não tem em seu catálogo brasileiro conteúdo específico sobre bitcoin e criptomoedas. Porém, a empresa já anunciou que vai contar uma das histórias mais misteriosas do mercado das criptomoedas: a morte de Gerry Cotten, criador da corretora canadense QuadrigaCX.

Publicidade

O empresário supostamente morreu de forma súbita durante uma viagem à Índia no final de 2018. Por ser o único detentor das chaves privadas da exchange, todos os clientes da QuadrigaCX tiveram um prejuízo de cerca de R$ 1,3 bilhão ao perderem acesso as suas criptomoedas armazenadas na plataforma.

Mas a gigante do streaming tem um conteúdo muito interessante para quem busca saber mais sobre o conceito do dinheiro como um todo. A série “Explicando”, feita em parceria com o portal americano Vox, tem uma temporada inteira sobre o tema.

“Mercado de Ações – Explicado”

Abaixo você pode ver o episódio completo com legendas em português no qual o mercado de ações é explicado de forma simples, mas inteligente. O documentário mostrar como o mercado de capitais passou de uma extensão do mundo real de provedores de produtos e serviços e virou uma entidade sem conexões aparentes com nada que é sólido.

YouTube

O YouTube tem milhares ou até milhões de conteúdos originais sobre bitcoin e criptomoedas. Grande parte dele de vlogueiros, capacitados ou não, fazendo análises e tentando prever o futuro.

A curadoria deve ser feita com cuidado. Dentro desse oceano de vídeos, o documentário “The Roots of Bitcoin” (“As raízes do Bitcoin”), do canal ReasonTV, destaca-se pelo trabalho analítico de entender e mostrar como a criptografia surgiu em grande parte pelo ideais (utópicos?) de um grupo de matemáticos e programadores que previram uma batalha já na pré-história da internet: seria uma ferramenta ou para acabar com a opressão e censura ou para colocar em prática as distopias mais sinistras.

Um material interessante é o feito pelo portal Vice em parceria com a HBO sobre blockchain. A produção viajou até à Rússia e entrevistou o criador do Ethereum, Vitalik Buterin, para entender como está a disputa pelo que estão chamando de “Internet 3.0”.

Para quem busca conteúdo feito em português, o canal do economista Fernando Ulrich tem sido um ponto de estudo sobre o bitcoin muitos anos antes do tema ter atingido o nível de popularidade de hoje – podemos dizer que, quando Ulrich chegou, “era tudo mato”.

“The Roots of Bitcoin”

“Inside The Cryptocurrency Revolution”

Canal Fernando Ulrich

VOCÊ PODE GOSTAR
hamster kombat jogo telegram

Hackers tentam roubar criptomoedas de jogadores do Hamster Kombat

Os golpistas têm anunciado falsos airdrops e pré-venda do token que ainda não existe
Imagem da matéria: “Playboy do Bitcoin” mentiu sobre sequestro e roubo de criptomoedas, denuncia MP

“Playboy do Bitcoin” mentiu sobre sequestro e roubo de criptomoedas, denuncia MP

Marlon Gonzalez, o “Playboy do Bitcoin”, disse ter sido sequestrado, roubado e agredido, mas segundo o MP tudo não passou de um esquema
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin chegam ao 9º dia consecutivo de entradas

Os ETFs de Bitcoin negociados nos EUA já captaram US$ 1,9 bilhão nos últimos nove dias
Imagem da matéria: Agora você pode guardar seu Bitcoin sob a pele

Agora você pode guardar seu Bitcoin sob a pele

A VivoKey Technologies, com sede em Seattle, oferece carteiras de Bitcoin subdérmicas para transações seguras de criptomoedas usando tecnologia NFC e RFID