Ilustração de baleia engolindo moedas
Shutterstock

O misterioso investidor por trás da terceira maior carteira de bitcoin não se conteve frente à forte queda de preços de janeiro e, desde o início do ano, já comprou mais 4.701 BTC cerca de US$ 177 milhões na atual cotação da moeda.

Neste ritmo, a baleia — termo que se refere a um investidor que detém grandes quantias de criptomoedas — foi capaz de superar o balanço de bitcoin da MicroStrategy, a empresa do maximalista Michael Saylor.

Publicidade

A MicroStrategy fechou 2021 com 124.391 BTC em caixa, concretizando sua posição como a empresa de capital aberto que mais detém bitcoin.

Já a baleia estava com 120.389 BTC na carteira no fim do ano, segundo dados do BitInfoCharts. Desde o dia 1º de janeiro, no entanto, 16 compras massivas de bitcoin fizeram o saldo da carteira saltar para 125,090 BTC, cerca de US$ 4,7 bilhões — finalmente ultrapassando a empresa de Saylor.

baleia bitcoin
Compras de BTC da baleia em 2022 (Fonte: BitInfoCharts)

Como é um ministério quem está por trás desse endereço, é possível afirmar que essa é a baleia anônima mais rica do mundo. No entanto, isso não significa que ela detém a maior carteira de bitcoin que existe atualmente.

No panorama geral, a carteira fica em terceiro lugar no Bitcoin Rich List, atrás apenas de endereços cujo detentores já são conhecidos no mercado e que pertencem às exchanges Binance e Bitfinex.

Publicidade

Comprando a queda do bitcoin

A baleia abriu o ano comprando US$ 21 milhões em bitcoin no dia 3 de janeiro. A quantidade de criptomoedas compradas no exato dia em que o BTC fez aniversário de 13 anos parece ter sido simbólica: 21 milhões é a quantia máxima de bitcoin que vai existir no mundo.

À medida que o preço do ativo afundava cada vez mais nas últimas semanas, até atingir o nível de US$ 33 mil na segunda (24), a baleia não se desfez de nenhuma criptomoeda. Pelo contrário, aproveitou a queda para aumentar sua posição.

Após a compra do dia 3, o investidor anônimo adicionou bitcoin na carteira outras 15 vezes, com aquisições que iam desde 8 BTC (a compra mais baixa) a um topo de 605 BTC (a compra mais alta).

Os padrões de compra e venda sugerem que ao invés de pertencer a um único investidor, o endereço deve ser de alguma organização empresarial, como uma corretora ou gestora de investimentos. 

Publicidade

A carteira foi aberta em fevereiro de 2019 e tem sido movimentada regularmente, mas a entrada de moedas são muito mais frequentes que as saídas. 

O período de acumulação costuma se formar em momentos de baixa do mercado. No início de dezembro, quando o bitcoin caía para US$ 50 mil, mais 2.700 BTC entraram na carteira, seguindo o padrão de entradas que aconteceram durante os dois últimos meses de 2021 e que se intensificam agora em 2022.

Talvez você queira ler
cz fundador da exchange de criptomoedas binance

Desempregado, CZ diz estar “aproveitando” tempo livre e recomenda livros nas redes sociais

O ex-CEO da Binance falou sobre estoicismo e também relembrou frases antigas como “cuidado com o que você deseja”
Imagem da matéria: O Bitcoin está prestes a entrar em um ciclo de alta? Veja o que dizem os especialistas

O Bitcoin está prestes a entrar em um ciclo de alta? Veja o que dizem os especialistas

O Bitcoin atingiu US$ 39 mil na sexta-feira. Será que só há espaço para crescimento a partir de agora?
Bonequinho em cima de uma pilha de moedas douradas de bitcoin fazendo alusão ao processo de mineração

Censura no Bitcoin? Grande pool de mineração revolta comunidade ao “filtrar” transações suspeitas

Um desenvolvedor do Bitcoin detectou seis transações perdidas de endereços sancionados pelo governo dos EUA
pilhas de moedas de bitcoin BTC

Mineradores de Bitcoin vão devolver R$ 15 milhões ao investidor que pagou taxa mais cara da história

O pool de mineração AntPool concordou em devolver os R$ 15 milhões que entraram para a história como a taxa mais cara já paga por uma transação de Bitcoin