Imagem da matéria: Sangue no mercado de criptomoedas: Bitcoin, Ethereum, Cardano, Solana e XRP têm quedas de mais de 15%
Foto: Shutterstock

Era melhor você nem ter acordado: a queda no mercado de criptomoedas que começou na tarde de sexta-feira (03) se intensificou durante a madrugada de sábado (04). Bitcoin, Ethereum, Cardano, Solana e XRP, entre outras moedas, têm quedas de mais de 15% no acumulado das últimas 24 horas.

O Bitcoin perdeu o suporte do US$ 50 mil. O ativo gira em torno dos US$ 47,8 mil, segundo dados do Coinmarketcap, mas chegou a bater US$ 42 mil na Binance. No Brasil, conforme dados do índice do Portal do Bitcoin, o preço no momento em que este texto é escrito está em R$ 277 mil, mas chegou a uma mínima de R$ 266 mil. Em reais, trata-se do valor mais baixo desde 5 de outubro.

Publicidade

O mercado perdeu cerca de US$ 400 milhões no total no market cap total das criptomoedas.

As demais criptomoedas vêm acompanhando a queda. A segunda maior em valor de mercado, a Ethereum, também está em trajetória de queda, tendo perdido o suporte dos US$ 4 mil.

Cardano e Solana também derreteram e as quedas se aproximam de 20%. A cardano já vinha em trajetória de queda acentuada em comparação com as demais moedas do top 10 do mercado.

O volume de vendas foi tão forte que na corretora Huobi, o ativo chegou a ser negociado a US$ 28 mil, no par com a stablecoin USDC, dada a pressão pela liquidação. O dado foi flagrado pelo jornalista Colin Wu, que compartilhou no Twitter.

Apesar da forte queda, a blockchain do bitcoin não teve um disparo nas atividades. A mempool segue ‘barata’, o que significa que não houve um aumento do envio de bitcoin para as exchanges.

Publicidade

Motivos para a queda do Bitcoin

Não ainda consenso no mercado sobre o que motivou a queda. Há inseguranças em relação à variante Ômicron e à inflação “não transitória” nos Estados Unidos, o que gera um grau de incerteza nos investidores institucionais.

Outro fator é a perspectiva cada vez maior de aumento das taxas de juros, o que diminui o apetite para o risco dos investidores.

Um último fator, ainda que bem menor, pode ter sido uma nova provocação de Elon Musk em relação à web 3.0. O criador da Tesla postou um novo meme no qual ele ironiza gente as pessoas que ficam falando o tempo todo de DAOs, criptomoedas e Web 3.0.

Última correção

A última correção de dois dígitos, de cerca de 15%, ocorreu no início de setembro, no dia em que El Salvador tornou o bitcoin uma moeda oficial no país. Na ocasião, o ativo chegou a R$ 237 mil. No dia seguinte, houve uma nova queda de 10%.

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin com bandeira dos EUA no fundo

Fed diz que inflação está caindo, mas não rápido o suficiente: por que isso importa para o Bitcoin?

A queda da inflação beneficia os ativos de risco, incluindo as criptomoedas, pois daria ao Fed confiança para começar a reduzir as taxas de juros este ano
Imagem da matéria: Governo alemão envia mais R$ 96 milhões em Bitcoin para exchanges

Governo alemão envia mais R$ 96 milhões em Bitcoin para exchanges

“Isso resultará em volatilidade, pois grandes transferências podem causar flutuações de preços no curto prazo”, diz analista
Imagem da matéria: Regular setor cripto com moderação é essencial para o crescimento da economia, dizem especialistas

Regular setor cripto com moderação é essencial para o crescimento da economia, dizem especialistas

No evento Febraban Tech, executivos da Microsoft, MB e Citi avaliaram o papel da regulação para permitir a inovação no mercado brasileiro
Imagem da matéria: MicroStrategy anuncia desdobramento de ações após acumular US$ 13 bilhões em Bitcoin

MicroStrategy anuncia desdobramento de ações após acumular US$ 13 bilhões em Bitcoin

A empresa de software MicroStrategy, do defensor do Bitcoin Michael Saylor, dividirá suas ações depois que o preço mais do que triplicou no ano passado