Imagem da matéria: ONU diz que Coreia do Norte usa criptomoedas para financiar programa nuclear
Kim Jong un (centro) em visita a uma escola (Foto: Shutterstock)

Especialistas das Nações Unidas (ONU) acusaram a Coreia do Norte de financiar seus programas militares com dinheiro obtido através de criptomoedas roubadas. As informações estão num relatório enviado ao Conselho de Segurança da ONU na última segunda-feira (8), e que foi obtido pela Associated Press (AP)

De acordo com o documento, grupos hackers ligados ao governo norte-coreano roubaram cerca de US$ 316 milhões (R$ 1,7 bilhão) em criptomoedas. Os ataques em questão aconteceram entre 2019 e 2020. Apesar disso, o valor dos roubos pode ser maior. Em 2019, a ONU afirmou que os hackers norte-coreanos obtiveram US$ 2 bilhões (R$ 11 bilhões) para financiar os seus programas armamentistas.

Publicidade

“A Coreia do Norte continua capaz de evadir sanções e desenvolver seus armamentos, além de importar petróleo refinado de maneira ilícita. O país acessa canais bancários internacionais para conduzir as suas atividades cibernéticas maliciosas”, afirmaram as autoridades da ONU, de acordo com a AP.

Além disso, em 2020, especialistas em segurança cibernética disseram que a Coreia do Norte fomenta ataques e roubos de criptomoedas de maneira oficial. Um dos grupos hackers ligados ao governo do país é conhecido como Lazarus, que atua no universo cibernético ao menos desde 2009 e é conhecido por conduzir vários ataques para obter Bitcoin e outras criptomoedas.

Roubo de criptomoedas financia armas de destruição em massa

O painel de investigação da ONU afirmou, no documento, que os ataques contra instituições financeiras e exchanges de criptomoedas geraram dinheiro para “financiar armas de destruição em massa e programas de mísseis balísticos”, conforme reporta a Associated Press. Inclusive, há suspeitas de que a Coreia esteja produzindo materiais de fissão que podem ser utilizados em armas nucleares.

Parte das atividades ilícitas da Coreia do Norte é facilitada pelo Irã, que também enfrenta sanções da ONU. Através da Korea Mining Development Trading Corporation, o país exporta armas e outros equipamentos militares para o país do Oriente Médio. Ambos os países cooperam para desenvolver armamentos, conforme aponta a ONU no seu relatório.

Publicidade

Por outro lado, o Irã rebateu as acusações da ONU , quando uma versão preliminar do relatório foi publicada em dezembro do ano passado. Os iranianos alegam que as alegações realizadas no relatório são falsas e fabricadas.

O relatório produzido pela ONU ainda não foi lançado ao público, mas pode ter consequências sérias para os norte-coreanos. Ned Price, do Departamento de Estado dos EUA, afirmou à AP que Joe Biden pode rever a sua posição sobre a Coreia do Norte ao ler o documento.

VOCÊ PODE GOSTAR
Pessoa segura smartphone com logo BUSD com as mãos apoiado em uma mesa

SEC encerra investigação sobre stablecoin da Binance sem ações de penalidade

A SEC alegou que a stablecoin BUSD era um valor mobiliário em um processo movido contra a Binance no ano passado
Imagem da matéria: WazirX, uma das maiores exchanges da Índia, perde R$ 1,2 bilhão em ataque hacker

WazirX, uma das maiores exchanges da Índia, perde R$ 1,2 bilhão em ataque hacker

A exchange cripto indiana WazirX suspendeu os saques de criptomoedas depois da invasão
Imagem da matéria: SEC encerra investigação contra desenvolvedor Bitcoin Stacks sem punição

SEC encerra investigação contra desenvolvedor Bitcoin Stacks sem punição

Stacks, uma rede de escalonamento de Bitcoin, não é mais objeto de investigação da SEC depois que a agência não recomendou nenhuma ação de fiscalização
J.D. Vance.

Quem é J.D. Vance? Vice de Trump que tem mais de US$ 100 mil em Bitcoin

O senador e autor de best-sellers J.D. Vance parece ter entrado no movimento republicano a favor das criptomoedas