Nova peça do Mercado Bitcoin
Foto: Divulgação

O Mercado Bitcoin vai mudar de marca. A partir do dia 10 de junho, a empresa fundada em 2013 assume oficialmente o apelido MB. A nova marca vem acompanhada de uma reestruturação de negócios que pertencem à 2TM, controladora da empresa.

O objetivo, de acordo com a corretora, é melhorar a experiência dos clientes, unificando e facilitando o acesso para soluções e produtos de novas tecnologias. “Usar como marca o nosso apelido MB é algo que traz mais intimidade e conecta melhor o nosso cliente”, afirma Reinaldo Rabelo, CEO do Mercado Bitcoin.

Publicidade

Segundo o executivo, a reestruturação das unidades de negócios – que agora também passam a usar o prefixo MB, acompanhado da área de atuação – torna mais simples perceber que o grupo oferece outros serviços para além de ativos cripto – crowdfunding e tokenização, por exemplo – com o mesmo nível de segurança e governança da plataforma de negociação.

“Teremos em um único lugar um menu diversificado de produtos e serviços para atender perfis variados, de forma personalizada, seguindo a nossa missão de sermos o instrumento da nova economia digital”, reforça Rabelo.

É a mesma linha adotada por Robson Harada, Chief Marketing and Growth Officer. “Entendemos que a marca antiga estava alinhada ao contexto de 2013. Precisávamos de um facelift para o momento atual”, diz. Esse momento, segundo ele, é a passagem de uma holding de empresas para uma empresa multiprodutos. “Somos uma one stop shop do mercado cripto”.

De acordo com os executivos, a mudança não tem relação com o chamado inverno cripto, como vem sendo conhecido o período de crise no preço das criptomoedas, com a elevação dos juros e a implosão do ecossistema Terra. “Era um planejamento anterior. Invernos como esse são cíclicos, uma hora acabam sem mandar aviso. Temos que nos preparar para aproveitar o momento quando o mercado voltar a crescer”, diz Rabelo.

Publicidade
Reinaldo Rabelo, CEO do Mercado Bitcoin

Unificação

Entre as mudanças dos negócios do grupo estão as áreas especializadas em atender clientes institucionais ou com grande volume de negócios, que passam a ser chamadas de MB One e MB Private. O MB One será um canal exclusivo de atendimento voltado para clientes que buscam uma relação mais personalizada com a empresa, para além da plataforma digital.

Já o MB Private tem como foco clientes com demandas de alta complexidade ou grandes volumes alocados. “Disponibilizamos soluções e produtos relacionados a criptoativos, tokens lastreados, planejamento financeiro, gestão patrimonial, ativos tradicionais, seguros e previdência”, conta Rabelo.

Clientes com perfil mais ativo, que buscam resultados no curto prazo a partir da volatilidade do mercado, passarão a ser atendidos pela MB Traders, que terá um time de especialistas do mercado financeiro. Com esse serviço, chega também a primeira Sala de Trade exclusiva de cripto do Brasil, que fará a produção de relatórios diários com análises completas.

As unidades até então conhecidas como MBDA e a Clearbook passam a compor o MB Tokens, focado na tokenização de ativos reais e em equity crowdfunding. A principal missão é oferecer um portfólio de tokens lastreados, com alta liquidez, baixa volatilidade, risco reduzido e alto retorno.

Publicidade

A empresa de inteligência em gestão de patrimônio ParMais, adquirida pelo grupo 2TM, passará a se chamar MB Assets. Além da análise personalizada dos ativos, gestão e planejamento patrimonial, a companhia também ganha novos produtos, como a renda fixa digital. A empresa continua sob a gestão dos seus fundadores Annalisa Blando e Alexandre Amorim.

Clientes de empresas parceiras do grupo passam a ter acesso à MB Cloud, um serviço de crypto-as-a-service, podendo oferecer hold, compra e venda de criptoativos a seus clientes em seus apps e plataformas.

Menos fricção

Na visão do CEO do Mercado Bitcoin, para o cliente pessoa física tradicional, a principal mudança será sentida na oferta de ferramentas como a BIO Financeira, que oferece planejamento financeiro a partir de uma análise geral sobre o momento do cliente. “O reposicionamento deixa claro que é tudo MB, que não estamos entregando os dados do cliente para um terceiro. Agrupando todos os serviços dentro da marca, diminuímos a fricção”, analisa Rabelo.

Olhando para o futuro, o executivo diz que ter uma marca única para todas as unidades também irá ajudar no processo de expansão internacional da empresa, que possui uma exchange em Portugal e projetos na América Latina.

Em termos de setores, Rabelo afirma enxergar potencial de crescimento para o grupo em particular no fornecimento de infraestrutura blockchain e cripto para empresas. “É grande a quantidade de companhias que buscam oferecer acesso à economia cripto para seus clientes sem necessariamente se tornarem elas próprias as provedoras dessa atividade”.

Publicidade

Vitória de quem chega antes

O conceito de comunicação do MB como empresa também muda. Por exemplo, sai o atual slogan, vem pra nova economia digital, e entra o novo: Quem chega antes, vence.

“Além de abraçar todo o nosso ecossistema e simplificar a arquitetura de marca, com esse rebranding queríamos despertar a atenção das pessoas para o fato de que para ser um vencedor é preciso começar. E logo”, explica Harada. “Nós chegamos antes, fomos a primeira corretora da América Latina, a primeira a tokenizar ativos. Queremos incentivar nossos clientes a chegarem antes também para prosperar”.

A nova campanha de comunicação traz conteúdo embalado por uma linguagem leve, com emojis, simples e flexível para transitar em diferentes canais. “O mood das peças trará mais diversidade nas imagens, mais Web3, mais 3D e até sound design para plataformas com recurso de áudio”, afirma o executivo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fachada da Braiscompany em Campina Grande PB- Portal do Bitcoin

Justiça irá leiloar imóveis de operador financeiro da pirâmide Braiscompany

Imóveis são de  Joel Ferreira de Souza, que segundo o MPF auxiliava a Braiscompany a trocar criptomoedas por dinheiro fiduciário
Imagem da matéria: Justiça torna sócios da gestora cripto Titanium réus por crimes financeiros

Justiça torna sócios da gestora cripto Titanium réus por crimes financeiros

Juiz aceitou a denúncia do Ministério Público contra os sócios da Titanium e da Sbaraini, além de mais sete pessoas, por investigações da Operação Ouranós
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Brasil é o 6º país com maior adoção de criptomoedas do mundo

Ranking global de adoção de criptomoedas é liderado pelos Emirados Árabes, com 25%; Brasil aparece em 6º, com 17,5%
Arte mostra imagem do espaço mirando a Terra envolta a uma rede de sinais holográficos

Núclea lança rede para tokenização de ativos financeiros

Testes da primeira duplicata tokenizada devem finalizar em julho e o serviço começa a ser ofertado de forma ampla ao mercado em setembro