Imagem da matéria: Maior site de notícias sobre criptomoedas pode ser vendido por R$ 600 milhões
Portal Coindesk é parte do conglomerado DCG (Foto: Shutterstock)

O portal norte-americano CoinDesk, maior veículo do mundo de notícias sobre criptomoedas, está perto de ter um novo dono. Segundo reportagem do Wall Street Journal, publicada nesta sexta-feira (21, ) um grupo liderado por Matthew Roszak e Peter Vessenes, formado por investidores em projetos de blockchain, irá pagar US$ 125 milhões (R$ 597 milhões) para ter a maior parte da empresa e poder tomar as decisões.

Segundo o jornalista Colin Wu, a empresa de notícia foi avaliada em pouco mais de US$ 200 milhões (R$ 956 milhões). Isso faz com que os novos investidores tenham um pouco mais de 60% do total de ações da companhia. 

Publicidade

O CoinDesk é uma empresa do conglomerado Digital Currency Group (DCG), que comprou o veículo jornalístico em 2016. Reportagem do The New York Times de janeiro deste ano informou que o CoinDesk, que tem sua redação em Nova York, possui uma equipe de 160 funcionários espalhados em países como Estados Unidos, Índia e Turquia.

A oferta de compra vem em um momento em que o grupo DCG busca se capitalizar após um ter sido alvo de um cataclisma em janeiro deste ano: a Genesis, plataforma de crédito em criptomoedas e unidade da DCG, entrou com pedido de falência. 

O estrago é monumental: a empresa deve US$ 5,1 bilhões (R$ 24,3 bilhões) para diversos credores.

DCG em apuros

Além das dívidas, a quebra da Genesis gerou disputas judiciais. A corretora Gemini entrou com processo por fraude contra a empresa do grupo DCG, alegando que foi enganada em uma parceria comercial que mantinha com a plataforma de crédito.

Gemini é uma corretora de criptomoedas fundada pelos gêmeos Winklevoss, que ficaram famosos por entrarem com um processo judicial contra Mark Zuckerberg alegando que ele roubou a ideia do Facebook deles.

Publicidade

Pelo acordo, a DCG ainda teria uma participação nas divisões de mídia, eventos e dados. O CoinDesk realiza anualmente o Consensus, um dos maiores encontros para debate do setor de criptomoedas.

Binance considerou comprar CoinDesk

Em janeiro deste ano foi noticiado que o empresário chinês Wang Feng, fundador do portal de notícias Marsbit, estava estudando possibilidades de comprar o CoinDesk.

Nesse contexto também estava a Binance, que se tornou investidora do Marsbit ainda em 2019, quando o projeto se chamava The Mars. O negócio marcou o primeiro aporte da corretora em uma startup chinesa. Não foram divulgados valores, mas foram especulados na época que estariam em torno de US$ 200 milhões.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Viden.vc investe na Liquidium, plataforma que permite empréstimos na rede Bitcoin

Viden.vc investe na Liquidium, plataforma que permite empréstimos na rede Bitcoin

A Liquidium é o segundo investimento da Viden em empresas que desenvolvem a tecnologia para o ecossistema financeiro do Bitcoin – o primeiro foi na Magisat
Imagem da matéria: MicroStrategy anuncia desdobramento de ações após acumular US$ 13 bilhões em Bitcoin

MicroStrategy anuncia desdobramento de ações após acumular US$ 13 bilhões em Bitcoin

A empresa de software MicroStrategy, do defensor do Bitcoin Michael Saylor, dividirá suas ações depois que o preço mais do que triplicou no ano passado
Bandeira do Japão com moedas de bitcoin

Empresa japonesa intensifica compra de Bitcoin em meio ao baixo crescimento econômico

A Metaplanet Inc. comprou mais 42 BTC, avaliados em US$ 2,4 milhões, enquanto a economia do Japão enfrenta ventos contrários
Imagem da matéria: SEC encerra investigação contra desenvolvedor Bitcoin Stacks sem punição

SEC encerra investigação contra desenvolvedor Bitcoin Stacks sem punição

Stacks, uma rede de escalonamento de Bitcoin, não é mais objeto de investigação da SEC depois que a agência não recomendou nenhuma ação de fiscalização