Imagem da matéria: IRB anuncia parceria com a B3 para plataforma de contratos de seguros com blockchain

O IRB-Brasil Resseguros S.A. (B3: IRBR3), em comunicação ao mercado publicada nesta segunda-feira (26), disse que firmou uma parceria com a Bolsa de Valores brasileira (B3) para desenvolver uma plataforma que usará a tecnologia blockchain.

A ideia, diz a mensagem divulgada pelo setor de relação com investidores, é conectar corretores, seguradoras e resseguradoras em uma única rede para permitir que “as operações envolvendo contratos de seguros e resseguros sejam realizadas via internet”.

Publicidade

Segundo a nota, a ferramenta estará disponível em 2021 — não há uma definição sobre mês nem semestre — e, com ela, seria possível finalizar em segundos processos que hoje duram meses. O projeto ainda está sujeito à aprovação.

O comunicado também diz que o blockchain foi criado em 2008, mas não faz nenhum menção ao Bitcoin, que é a primeira blockchain efetiva e até o momento incorruptível.

Também não há menção sobre qual blockchain será usada. Existe a apenas a definição de que “funciona, na prática, como um livro de registro virtual formado por uma rede incorruptível de blocos”.

A promessa, diz o texto, é que a estrutura não permite alteração das informações e oferece criptografia segura para a troca, em grande volume, de ativos digitais, sem a necessidade de um intermediário.

Publicidade

“Aplicada ao setor de seguros e resseguros, possibilitará negociações multilaterais, com segurança, alta velocidade e oferta de informações precisas em tempo real”, acaba a mensagem.

A empresa vem passado por uma grande crise desde o início do ano. As ações da IRB Brasil RE (IRBR3) abriram 2020 sendo negociadas a R$ 39,89 e despencaram mais de 83%, cotadas a R$ 6,85 no fechamento de sexta-feira (23).

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
simbolo do dolar formado em numeros

Faculdade de Direito da USP recebe evento da CVM sobre democratização dos mercados de capitais

Centro de Regulação e Inovação Aplicada (CRIA) da CVM vai a “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil” com transmissão ao vivo no Youtube