Imagem da matéria: IBM e Carrefour firmam parceria para rastrear produtos por Blockchain
(Foto: Carrefour)

Após um ano e meio de testes na plataforma IBM Food Trust, a empresa de tecnologia anunciou a parceria com a gigante varejista Carrefour que vai aplicar definitivamente a tecnologia blockchain na cadeia de fornecimento de alimentos.

A rede em nuvem da IBM é a primeira a conectar produtores, processadores, distribuidores e varejistas por meio de um registro de dados permanente e compartilhado em um sistema de distribuição alimentar, diz a plataforma.

Publicidade

De acordo com a empresa, durante o período de testes milhões de produtos alimentícios foram rastreados por varejistas e fornecedores, o que contribuiu para a efetivação do processo de construção de uma cadeia de fornecimento de alimentos mais inteligente, segura e sustentável.

“Ser um membro fundador da IBM Food Trust é uma grande oportunidade para o Carrefour acelerar e ampliar a integração da tecnologia blockchain a seus produtos e assim fornecer a clientes rastreabilidade segura e inquestionável”, disse Laurent Vallée, secretário geral do Carrefour.

Bridget van Kralingen, vice-presidente sênior da IBM Global disse que o mais importante hoje é a transparência e que ela só acontece quando há uma responsabilidade partilhada.

Ela acrescentou:

“Essa abordagem colaborativa mostra como o blockchain pode fortalecer a transparência e impulsionar melhorias significativas para rastreabilidade de alimentos. Em última análise, proporciona benefícios de negócios para os participantes e um produto melhor e mais seguro para os consumidores”.

Publicidade

A empresa não hesitou em destacar o quão grande é o grupo francês Carrefour, que possui mais de 12 mil estabelecimentos em 33 países.

Ela também indicou que a implantação total em todos os produtos da rede francesa deve acontecer até 2022.

O IBM Food Trust é uma solução executada na nuvem da IBM. A base da tecnologia depende do Hyperledger Fabric, uma estrutura blockchain de código aberto hospedada pela Linux Foundation.

Ela também é compatível com o padrão GS1 (suporte de dados para logística, um tipo de código de barras linear alfanumérico) usado por grande parte da indústria de alimentos para garantir a interoperabilidade dos sistemas de rastreabilidade.

Emmanuel Delerm, diretor do programa blockchain do Carrefour disse que para a empresa todo esse processo é uma questão de bom senso para o consumidor e que o foco é todo nele, relatou a Coindesk.

Publicidade

A gigante varejista não é a primeira a adotar a plataforma da IBM Food Trust, é apenas a mais recente, segundo a Coindesk. Dentre as empresas que já têm acordo com a plataforma estão Nestlé, Dole Food, Tyson Foods, Kroger, Unilever e a  gigante americana Walmart.


Procurando o melhor lugar para fazer seus trades?

A Huobi, exchange líder em ativos digitais, chegou ao Brasil! Crie sua conta em menos de 1 minuto. Plataforma em português, mais de 150 altcoins, taxa de apenas 0,20%, liquidez e muita segurança, acesse: https://www.huobi.com/

VOCÊ PODE GOSTAR
Mão segurando celular com logo da Toncoin e no fundo ícones do Telegram

Rede TON do Telegram vai se conectar ao Ethereum via blockchain de segunda camada

Em meio ao boom dos jogos do Telegram, The Open Network está pronta para lançar uma camada 2 compatível com Ethereum em colaboração com a Polygon
Moeda dourada de Bitcoin (BTC) sobre um gráfico de preço com candles indicando queda nos preços

Semana Cripto: Queda do Bitcoin derruba principais altcoins enquanto memecoins políticas permanecem voláteis

Bitcoin e Ethereum desabam em meio a narrativas sobre Mt. Gox e BTCs do governo da Alemanha
Imagem da matéria: Hackers roubam números de telefone de 33 milhões de usuários do Authy

Hackers roubam números de telefone de 33 milhões de usuários do Authy

Como precaução, todos os usuários do Authy devem atualizar seus aplicativos para as versões mais recentes
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética