Imagem da matéria: Governo do Paraguai "rouba" os mineradores de Bitcoin, acusa senador
Foto: Shutterstock

Diante da decisão do governo do Paraguai em aumentar em até 16% a tarifa de energia elétrica no país, o senador local Salyn Buzarquis postou um vídeo na internet dizendo que isso é um “roubo” contra os trabalhadores, citando principalmente os mineradores de Bitcoin (BTC).

Para ele, os mineradores legais de Bitcoin, que pagam quatro vezes mais pela eletricidade em comparação com outras indústrias ou mesmo países, como Argentina e Brasil, são vítimas da decisão da ANDE (Administração Nacional de Eletricidade).

Publicidade

Com isso, o governo “mata o negócio antes que nasça a grande onda de investimentos pelo efeito cascata”, diz Buzarquis. Ele lembra ainda que o governo do Paraguai recebe mais de US$ 445 milhões das grandes mineradoras que operam no país e que utilizam energia excedente.

“Agora a ANDE aumenta surpreendentemente a tarifa de energia para 16%, o que inviabiliza o negócio para as mineradoras de forma enganosa e injusta. Muda as regras do jogo depois que essas empresas investiram um capital gigantesco no país”, repudiou o senador.

Buzarquis prevê que, devido a esta decisão, haverá “muita desconfiança” por parte das mineradoras para operar no Paraguai e assinar contratos com a ANDE. Ele fecha com um pedido ao governo: “Parem de roubar de quem trabalha, de quem paga imposto”.

O senador ainda questionou que a ANDE realize o aumento da alíquota “para mitigar suas perdas, sua corrupção e sua própria ineficácia”. Tudo isto, “à custa do desenvolvimento do país e contra os investimentos e altos interesses da República”.

Publicidade

“Me parece injusto e perverso que quem paga quatro vezes mais, paga seus impostos, investe no Paraguai, seja penalizado, e quem rouba energia seja recompensado. Como vai crescer o emprego se as empresas que estão comprometidas com o país forem perseguidas?”, questionou ele.

Mineração no Paraguai

O governo do Paraguai tem feito uma forte ofensiva contra a operação mineradores de Bitcoin clandestinos no país. Nos últimos meses, os órgãos públicos têm se mobilizado para encontrar e punir quem rouba energia para minerar criptomoedas.

Segundo o site Criptonoticias, até agora já foram apreendidos 10 mil máquinas ASICs, usadas para mineração de Bitcoin. Em uma das ofensivas mais recentes, 2.738 mineradoras foram confiscadas pela polícia na cidade de Canindeyú.

Além disso, há menos de um mês a Câmara dos Senadores do Paraguai aprovou um projeto de lei que pune com até 10 anos de prisão quem praticar furto ilegal de energia elétrica.

Publicidade

O projeto de lei, que altera o artigo 173 do Código Penal Paraguaio onde se propõe aumentar a pena nos atos puníveis de furto ilegal de energia elétrica, “dispõe sobre a apreensão e confisco dos bens vinculados ao referido ato punível”. O PL agora seguirá para a Câmara dos Deputados, onde, se aprovada, irá para sanção presidencial.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Ethereum em staking alcança 27% do suprimento com o início das negociações de ETF se aproximando

Ethereum em staking alcança 27% do suprimento com o início das negociações de ETF se aproximando

“Definitivamente, não precisamos de tanto ETH em staking,” disse o proeminente pesquisador de Ethereum Evan Van Ness ao Decrypt
J.D. Vance.

Quem é J.D. Vance? Vice de Trump que tem mais de US$ 100 mil em Bitcoin

O senador e autor de best-sellers J.D. Vance parece ter entrado no movimento republicano a favor das criptomoedas
Imagem da matéria: Pixelverse anuncia airdrop de tokens e NFTs para jogadores no Telegram

Pixelverse anuncia airdrop de tokens e NFTs para jogadores no Telegram

Os jogadores do PixelTap poderão reivindicar um NFT, e alguns receberão tokens PIXFI
Imagem da matéria: Projeto irá ensinar blockchain e criptomoedas para povo indígena Paiter-Suruí

Projeto irá ensinar blockchain e criptomoedas para povo indígena Paiter-Suruí

Um projeto na Aldeia Gamir, na Floresta Amazônica, tem como objetivo promover a alfabetização digital de indígenas da etnia Paiter-Suruí