Imagem da matéria: Governo de Seul, na Coreia do Sul, confisca criptomoedas de inadimplentes em três corretoras
Foto: Shutterstock

O departamento de arrecadação de impostos do governo de Seul, capital da Coreia do Sul, apreendeu cerca US$ 22 milhões (₩ 25 bilhões — won sul-coreano) em criptomoedas de centenas cidadãos e empresários inadimplentes. A ação faz parte de uma investigação do governo que localizou em três exchanges 1.556 contas vinculadas aos devedores. As informações são da agência de notícias Yonhap em publicação na sexta-feira (23).

Segundo a agência, das contas localizadas, 676 indivíduos deviam ao governo local cerca de US$ 25 milhões (₩ 28,4 bilhões) em impostos vencidos, dos quais 118 pagaram aproximadamente US$ 1,1 milhão (₩  1,26 bilhão). Porém, a prefeitura de Seul disse que muitos munícipes que ocultaram seus ativos em formato digital estão pedindo para pagar a fatura em won para não perderem suas criptomoedas.  

Publicidade

O órgão, diz a publicação, acredita que os contribuintes esperam que o valor de suas criptomoedas aumente ainda mais devido ao recente aumento no preço no mercado. Desta forma, acrescentou, eles creem que vão ganhar mais pagando em dinheiro que com os ativos apreendidos.

Um exemplo citado pela agência foi de um diretor de um hospital que possuía cerca de US$ 11 milhões (₩ 12,5 bilhões) em criptomoedas que imediatamente pagou cerca de US$ 500 mil (₩ 580 milhões) de cerca de US$ 900 mil (₩ 1 bilhão) devidos aos cofres públicos.

Repressão às exchanges na Coreia do Sul

A ação ocorreu pouco tempo depois do governo da Coreia do Sul anunciar uma força-tarefa contra negócios ilegais com criptomoedas, como golpes e lavagem de dinheiro. Na quinta-feira (22), o presidente da Comissão de Serviços Financeiros (FSC), Eun Sung-soo, alertou que centenas de exchanges de criptomoedas podem ser fechadas até setembro por não aderirem às novas regras.

“Existem 200 bolsas de criptomoedas na Coreia, mas todas podem ser fechadas repentinamente em setembro”, disse Sung-soo em uma audiência na Assembleia Nacional, de acordo com o site Chosun nesta sexta-feira (23).

Publicidade

No início do mês, a exchange OKex fechou as portas no país sul-coreano; em janeiro, a Binance. A OKex se absteve em explicar oficialmente o motivo do encerramento e a Binance, revelou a falta de procura por seus serviços. No entanto, naquela ocasião, já havia sido anunciada uma nova lei para o mercado de criptomoedas no país.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Gnosis (GNO) dispara 20% após lançamento de plano para reviver o token

Um programa de crescimento com aporte milionário de fundo cripto está sendo votado neste momento pelos usuários do GNO
Imagem da matéria: Coinbase sai do ar durante madrugada após interrupção do sistema

Coinbase sai do ar durante madrugada após interrupção do sistema

Embora a Coinbase tenha informado nesta manhã que o problema estava resolvido, sua página de status ainda indica que o app móvel e site estão com “desempenho prejudicado”
Imagem da matéria: Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Em operação contra “Rei do Bitcoin”, PF descobriu fraude em contratos públicos envolvendo irmão do ex-governador do Paraná 

Nova operação da Polícia Federal apura crimes ligados às investigações da operação Daemon, de 2021, que prendeu o “Rei do Bitcoin”, Claudio Oliveira
Pessoa inserindo chip no celular

Justiça manda TIM pagar R$ 21 mil a cliente que teve celular clonado e perda de criptomoedas

A partir da clonagem do celular, os invasores tiveram acesso ao email e posteriormente a uma carteira cripto na Binance