Imagem da matéria: Ex-Diretor do FBI diz que Moedas Digitais Atrapalham Investigações

Dia 2 de maio, o ex-diretor do FBI James Comey disse a um Comitê Judiciário do Senado que os esforços da Agência Federal estão sendo ineficazes devido à ascensão de moedas digitais e métodos de criptografia.

Esta semana, o presidente dos EUA, Donald Trump, demitiu o diretor do FBI, James Comey. Ele foi analisado nos últimos meses devido a vazamentos de segurança e seu relacionamento com membros do governo russo. Poucos dias antes de Trump empurrar Comey fora de sua posição, o Diretor do FBI falou a um Comitê Judiciário do Senado sobre ameaças contra a nação e as questões das agências com a tecnologia.

Publicidade

“Infelizmente, há uma discrepância real e crescente entre o uso da lei para ter acesso à informações digitais e a habilidade técnica para fazer”, explica Comey. “O FBI refere-se a este desafio crescente como” escuridão “, e afeta o espectro de nosso trabalho.”

A troca entre privacidade e segurança

Comey detalha que durante a primeira metade do ano fiscal a Agência Federal não conseguiu acessar dados sobre 3000 dispositivos móveis usando os recursos tecnológicos do governo. “Esse número representa quase metade de todos os dispositivos móveis que o FBI tentou acessar nesse período”, observa o ex-diretor.

Durante seu discurso, Comey também afirma que algumas pessoas acreditam que o desafio com o FBI é um “tradeoff entre privacidade e segurança”. No entanto, os membros do FBI acreditam que o acesso a dados usando autoridade legal, como um mandado, justifica que as agências precisam ter acesso privado à Informações sobre telefones celulares e computadores. As recentes declarações também se assemelham aos comentários de Comey durante um simpósio de segurança em agosto organizado pela Symantec. O diretor do FBI disse na época que a privacidade absoluta nos EUA é uma farsa.

“O princípio geral é aquele que sempre aceitamos nos Estados Unidos e está no cerne de nosso país”, afirmou Comey durante o evento.

Publicidade

Moedas digitais estão sendo usados para mascarar transações

No Comitê Judiciário do Senado, Comey diz que quase todos os crimes têm atualmente um “elemento que é digitalmente baseado ou facilitado”. O ex-diretor diz que grupos como o ISIS estão usando tecnologia como mídia social e plataformas de mensagens criptografadas para recrutar mais membros. Além disso, Comey diz que moedas como o bitcoin estão sendo usadas para anonimizar transações ilegais.

“Alguns dos nossos investigadores criminais enfrentam o desafio de identificar pedófilos online que escondem seus crimes e identidades por trás de camadas de tecnologias anonimizadas, ou traficantes de drogas que usam moedas digitais para mascarar suas transações”, revela Comey.

Agentes e analistas especiais do FBI devem ter as melhores ferramentas tecnológicas e centros de dados disponíveis para combater o período de escuridão que a agência enfrenta, diz Comey. Apesar de Comey deixar o cargo de Diretor, o governo federal dos EUA também deu ao FBI um mandato para diminuir o número de centros de dados que a agência usa em todo o país.

VOCÊ PODE GOSTAR
Vitalik Buterin posa para foto na ETH Taipei 2024

Vitalik Buterin mostra como tecnologia blockchain pode melhorar a privacidade e liberdade de russos

Desenvolvida pela empresa russa Rarimo, a Freedom Tool utiliza tecnologia de Prova de Conhecimento Zero (ZKP)
Imagem da matéria: Hackers roubam números de telefone de 33 milhões de usuários do Authy

Hackers roubam números de telefone de 33 milhões de usuários do Authy

Como precaução, todos os usuários do Authy devem atualizar seus aplicativos para as versões mais recentes
Joe Biden posa para foto

Biden vira sobre Kamala: mercados de criptomoedas esperam que o presidente seja indicado

Apostadores de criptomoedas no popular mercado de previsões Polymarket novamente favorecem Joe Biden como candidato dos democratas
Bolo de dólares em cima de outras notas

PF da Argentina prende família que lavava dinheiro de contrabando e jogos de azar com USDT

Com o filho preso e a esposa indiciada, o líder da quadrilha, Fabián Di Julio, o “El Gordo”, se entregou na última quarta-feira