Imagem da matéria: Empresário que Tentou Fazer ICO no Brasil Diz que Recebeu Dica para Desistir do País
Edílson Osório durante sua palestra na Bitconf (Foto: Portal do Bitcoin)

Edilson Osório Junior queria lançar um ICO da sua empresa brasileira de tecnologia blockchain. Não conseguiu e acabou indo para a Estônia.

Em sua palestra no início da tarde deste sábado (05), na VI Bitconf, ele recontou o trabalho que teve para fazer o ICO no Brasil da sua empresa, a Original My.

Publicidade

A ideia, lançada na Bitconf de 2015, era criar um ambiente tokenizado de validação de identidade. Conseguiu um investidor-anjo, fez todo o desenho do produto para convencer os investidores e, quando foi lançar o ICO em outubro do ano passado, recebeu uma cartinha da CVM.

“Descobri que precisava de um advogado para responder e que tinha apenas cinco dias. Cada dia de atraso era uma multa de R$ 1 mil”, relembrou.

Respondeu à CVM, mas, como contou, a entidade ficou em silêncio. Na nova data de lançamento, em dezembro, recebeu outro ofício da entidade com um novo prazo – três dias.

“Os advogados disseram para a gente desistir de lançar no Brasil poque a CVM não entendia nada do assunto”, disse.

A decisão foi internacionalizar a empresa. Uma empresa de advocacia pesquisou e sugeriu qual deveria ser o país escolhido:

“Hoje a Original My é uma empresa estoniana, com um escritório no Brasil”.

Obviamente, os desafios brasileiros não pararam por aí. Como a Original My busca validar identidades e documentos via blockchain, começou uma guerra com os cartórios para que a empresa pudesse operar no país.

Publicidade

“A gente vivia em guerra com os cartórios até que encontramos o dono de um que tinha o desejo de hackear o sistema”.

Com essa parceria com o dono de um cartório disposto a apostar na inovação, ele passou a conseguir que uma pessoa pudesse mandar o documento na Original MY para certificar um documento no blockchain, sem que ela saísse de casa.

Para o futuro, a ideia é que o serviço possa se expandir para outros locais e que a tecnologia seja usada até mesmo para identificação de pessoas na entrada de eventos privados como, por exemplo, festas.

Cobertura Completa

Para ficar por dentro de tudo que está acontecendo na Bitconf VI São Paulo 2018, o Portal do Bitcoin criou uma página especial que será alimentada em tempo real com matérias, fotos e vídeos, acesse: https://portaldobitcoin.uol.com.br/cobertura-bitconf-vi/

Publicidade

 

BitcoinTrade

BitcoinTrade é a plataforma mais segura do Brasil para comprar e vender Bitcoin e Ethereum, junte-se agora a mais de 135 mil clientes satisfeitos. Gerencie também suas moedas digitais utilizando nosso aplicativo para dispositivos com iOS ou Android. Acesse aqui: https://www.bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve