Imagem da matéria: Empresa argentina vende criptomoedas que diz ter lastro em vacas grávidas
Foto: Shutterstock

A startup argentina Openbit tem oferecido investimento em vacas grávidas, mas de maneira muito duvidosa. A proposta, segundo o site do projeto, é vender o animal em forma de tokens, por meio de uma criptomoeda chamada ‘Bitcow’, vendida a US$ 100 mil.

Mas por que a Bitcow é suspeita? A resposta está no próprio traçado do projeto e na resposta da empresa quando questionada pela reportagem do Portal do Bitcoin.

Publicidade

O projeto de tokenl, supostamente lastreada em vacas prenhas não é bem explicado.

Por exemplo: ela seria emitida usando qual blockchain? Esta pergunta foi feita em forma de comentário em um dos post da conta do Bitcow no Linkedin, ao que a empresa respondeu:

“Estamos trabalhando nisso. Hoje, o BitCow trabalha como uma solução de tutela”.

Logo, dá a entender que enquanto ‘bitcows’ não são emitidos, a Openbit mantém os fundos sob sua custódia.

Mas aí tem um porém. Uma breve pesquisa na internet revela que a Openbit vem divulgando o negócio há pelo menos cinco meses.

Conforme um vídeo do projeto e um artigo no jornal La Nación, o prazo do investimento é de 180 dias.

Ou seja, o fundo fica aplicado por seis meses. Logo, os primeiros entrantes estão prestes a receber o retorno prometido.

Publicidade

Veja da Bitcow:

Criptomoeda duvidosa

Segundo o criador da criptomoeda — e supostamente das vacas, Guillermo Villagra, “o BitCow é uma alternativa de investimento projetado para os poupadores que desejam ingressar no setor pecuário, mas que não têm tempo, conhecimento ou recursos financeiros para fazer algo por conta própria”.

Consideremos as seguintes premissas:

  • Historicamente, por mais que um projeto de criptomoeda tenha todas as informações possíveis para o investidor, ainda assim muitos podem ser golpes.
  • Há no Coinmarketcap mais de 5.500 listadas. Grande parte disso provavelmente é golpe.
  • O endereço informado no site (Santa Fe, 1624, 3º piso, Ciudad Autónoma de Buenos Aires) fica num conglomerado de lojas de roupas e sapatos, conforme mostra o Google Maps.
  • A reportagem não encontrou nas principais redes sociais nenhum perfil de Guillermo Villagra vinculado à Bitcow.

Criptomoeda Bitcow

O Bitcow não tem um projeto transparente, e parece estar em fase de rodadas de investimento, mas isso não fica claro no site. Não tem roadmap, white paper e não diz quando o token será lançado.

A empresa oferece a oportunidade de investimento de no mínimo US$ 10 mil. Desta forma a pessoa adquire 10% de um Bitcow, que equivale a parte de uma vaca; US$ 100 mil vale uma “vaca prenha”.

De acordo com o site, as vacas estão nas cidades argentinas Trenque Lauquen e Benito Juárez.

Imagem:Reprodução

Criador do projeto

Não se tem informação do criador do projeto.

“Para cada Bitcow emitido, haverá 1,2 vacas endossando o referido”, disse Villagra ao La Nación. Supostamente ele é o gerenciador das 8 mil cabeças de gado postas em questão.

Publicidade

No jornal Clarín, Villagra afirma que já foram emitidos 1.500 Bitcows. Segundo a reportagem, a moeda tem um valor de mercado e pode ser vendida a qualquer momento.

No entanto, não se fala numa carteira e nem como se dá esta transação.


BitcoinTrade: Negocie criptomoedas com segurança e agilidade!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. 95% dos depósitos aprovados em menos de 1 hora! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto
Imagem da matéria: Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

A CVM multou a pirâmide financeira Atlas Quantum após identificar indícios “robustos e consistentes” de que tudo não passava de uma operação fraudulenta
Imagem da matéria: Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do "Rei do Bitcoin"

Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do “Rei do Bitcoin”

Nova operação da Polícia Federal visando fraudes no portos do Paraná revelou uma curiosa ligação entre o irmão do Roberto Requião e um dos maiores piramideiros do Brasil
Imagem da matéria: Tether e Circle "imprimem" US$ 1,25 bilhão em stablecoins em um único dia

Tether e Circle “imprimem” US$ 1,25 bilhão em stablecoins em um único dia

Desde o início do ano já foram emitidos US$ 30 bilhões em stablecoins; aquecimento parece estar relacionado à expectativa pelos ETFs de Ethereum