Imagem da matéria: CVM diz que Bitcoin Banco não se comprometeu a pagar ninguém e rejeita acordo
Cláudio José de Oliveira, fundador do Bitcoin Banco (Foto: Reprodução)

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) rejeitou nesta quarta-feira (12) um acordo com o Bitcoin Banco, do empresário Claudio Oliveira. De acordo com a autarquia, pela proposta sugerida não era possível dizer que a empresa pagaria as milhares de pessoas que prejudicou.

O relatório afirma que a proposta do GBB não tem “qualquer compromisso apontando para a correção das irregularidades e indenização dos prejuízos causados aos investidores”.

Publicidade

Além disso, os procuradores têm dúvidas até mesmo se o Bitcoin Banco deixou de ofertar valores mobiliários de maneira irregular.

Em outubro do ano passado, a CVM havia proibido a empresa de Claudio Oliveira de fazer ofertas de valores mobiliários. Na época, o GBB contava até mesmo com uma agência física em São Paulo — hoje fechada e com dívidas de aluguel — que oferecia produtos com rendimentos garantidos.

Na época, a autarquia constatou que a empresa oferecia, através de sua página oficial, “oportunidade de investimento cuja remuneração estaria atrelada à negociação de criptoativos por equipes de profissionais, utilizando-se de apelo ao público para celebração de contratos que, da forma como vêm sendo ofertados, enquadram-se no conceito legal de valor mobiliário.”

Ou seja: não tinha relação com o chamado giro infinito que proporcionava aos clientes um ganho fixo na arbitragem entre as corretoras TemBTC e a NegocieCoins — esquema que então não pagava os clientes há quatro meses. Meses mais tarde, a empresa entraria com um pedido de recuperação judicial.

Desde então, nenhum cliente recebeu.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin atinge US$ 68 mil após China reduzir inesperadamente as taxas de juros

Manhã Cripto: Bitcoin atinge US$ 68 mil após China reduzir inesperadamente as taxas de juros

“Se essa tendência persistir, o BTC poderá ultrapassar US$ 70 mil amanhã com o lançamento de ETFs de Ethereum”, escreveu um analista
Imagem da matéria: Kraken devolve Bitcoin aos clientes da Mt. Gox uma década após invasão

Kraken devolve Bitcoin aos clientes da Mt. Gox uma década após invasão

Isso marca um dos capítulos finais na saga da Mt. Gox, que levou 10 anos para ser resolvida
Closem em mãos de um homem que usa algemas

Suspeito de desviar R$ 30 milhões da Gerdau e converter em Bitcoin é preso por esquema com Nego Di

Em 2020, a metalúrgica Gerdau foi vítima de um roubo de R$ 30 milhões por meio de transferências de contas do banco Santander
Fachada de um prédio da BlackRock na Califórnia, EUA

Investidores seguem confiantes no Bitcoin e ETF da BlackRock tem maior captação desde março

Desde março o ETF de Bitcoin à vista da BlackRock não captava mais de R$ 2,9 bilhões em um único dia