Imagem da matéria: Corretora brasileira que arrecadou milhões de reais em ICO fecha as portas
Glauco Gobatto (E) e Ramon Vailatti (centro), ambos da Criptohub (Foto: Divulgação)

A exchange CriptoHub anunciou neste sábado (04) que está paralisando suas operações por tempo indeterminado devido a dificuldades financeiras e o atual cenário do mercado.

“Os custos para manter a empresa, a segurança dos usuários, e a exchange no ar, está inviável, até que um aporte financeiro aconteça, e possamos escalar o marketing da empresa e colocar ela no mercado.”, diz o comunicado.

Publicidade

A empresa diz que continua procurando sócios e investidores para poder relançar a plataforma.

Para os clientes que possuem fundos em custódia, os saques serão realizados em até 48 horas úteis durante 15 dias, segundo o comunicado. Saques abaixo de 1 BTC serão liberados instantaneamente enquanto valores acima desse montante será necessário verificação manual.

Após 15 dias, os saques deverão ser solicitados através do e-mail: [email protected].

Nasceu com problemas

A empresa CriptoHub surgiu de um ICO, realizado em 2018, que arrecadou milhões de reais através da venda de um token próprio chamado Criptohub Coin (CHBR). O lançamento da plataforma foi conturbado, contanto com diversos atrasos.

Na época, Ramon Vailatti, o criador da empresa, e sua equipe, promoveram uma campanha agressiva de marketing. Prometiam diversos produtos quando a empresa fosse lançada, tentando passar a imagem de que seriam a Binance brasileira. Não chegaram nem perto.

Mesmo levantando fundos com a venda de 30 milhões de tokens, a empresa comprou a plataforma da Draglet, um sistema white label para exchanges pouco recomendado, que mais tarde foi trocado.

Publicidade

Desde então, a exchange não conseguiu muito espaço no mercado brasileiro, não tendo registrado volumes de negociação significativos.

No comunicado de encerramento, a empresa não se manifestou sobre os tokens CHBR adquiridos pelos clientes durante o ICO. O Criptohub Coin (CHBR), um ERC20, nunca foi listado em nenhuma exchange relevante. O valor atual do token é zero, de acordo com o Ether Scan.

2020 veio com tudo

Este ano está sendo avassalador para o mercado brasileiro de criptomoedas. Até o momento, cinco exchanges já fecharam as portas. Além da Criptohub, na última semana a Xdex (exchange criada pela XP Investimentos) e OmniTrade se despediram de seus clientes.

No início do ano, Acesso Bitcoin e Latoex também paralisaram as atividades.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Os ETFs de Bitcoin à vista negociados nos EUA captaram US$ 654,3 milhões entre os dias 5 e 9 de julho
Imagem da matéria: Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Também foram potencialmente expostos dados como nome do usuário, CPF com máscara, instituição de relacionamento, agência e número da conta
Imagem da matéria: Fundos de Bitcoin registram 5ª maior captação semanal da história

Fundos de Bitcoin registram 5ª maior captação semanal da história

Mais de US$ 1,4 bilhão foram investidos em fundos de criptomoedas nos últimos sete dias, o triplo da semana anterior
Imagem da matéria: "Buy Bitcoin": 7 anos atrás, estagiário dizia para o mundo comprar Bitcoin no Congresso dos EUA

“Buy Bitcoin”: 7 anos atrás, estagiário dizia para o mundo comprar Bitcoin no Congresso dos EUA

Quem seguiu o conselho tomou uma sábia decisão: o Bitcoin valorizou 2.321% desde então, indo de US$ 2.387 para US$ 57.801