Bandeira da Argentina com moeda de Bitoin do lado
Foto: Shutterstock

A corretora argentina de criptomoedas Lemon Cash possui investimentos congelados na quebrada corretora de criptomoedas FTX e já declarou que não possui expectativas de recuperar os valores. A informação é de reportagem da Bloomberg Línea publicada nesta sexta-feira (25) e surge poucas horas após a empresa demitir cerca de 100 funcionários, que representam 38% da força de trabalho. Foram afetados os escritórios do Brasil e da Argentina.

A reportagem também confirma que FTX foi uma das investidoras na Lemon Cash, através do braço de capital de risco FTX Ventures, que colocou dinheiro em uma rodada inicial do tipo Série A.

Publicidade

As informações foram confirmada pelo CEO, Marcelo Cavazzoli, em entrevista ao portal The Block.

O executivo não quis revelar os valores e disse que o serviço Lemon Earn estava usando serviços da FTX e Alameda, mas que todo o dinheiro dentro desse ecossistema foi retirado.

Segundo a reportagem, a exposição da companhia argentina seria em valores – uma quantidade “pequena”, mas não especificada – retida em uma conta na Alameda, o braço formador de mercado da FTX.

Cazolli afirma que o colapso da FTX não teve impacto na empresa e que as demissões já estavam planejadas antes mesmo da quebra da corretora de SBF.

Demissões interrompem expansão

Em entrevista ao portal Infomoney, Marcelo Cavazzoli confirmou que os escritórios da Argentina e do Brasil foram afetados. A Lemon Cash chegou no início do ano ao mercado brasileiro, onde pretendia contratar 60 pessoas até dezembro.

Publicidade

Agora, a expansão da exchange no país será “mais estratégica e de nicho”, afirmou. 

Ao The Block, Cavazzoli disse que espera mais demissões entre fintechs na América Latina: “Empresas que não estão se ajustando agora, vão se ajustar quando tentarem captar recursos, digamos, nos próximos 12 meses, 10 meses”, alertou o executivo. 

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Fundos cripto do Brasil captam mais R$ 1,5 mi e chegam a 21ª semana consecutiva de entradas

Vindo de uma grande sequência de captação, fundos de criptomoedas do Brasil estão em 3º lugar no ranking global, atrás apenas dos EUA e Hong Kong
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Câmara dos EUA aprova nova lei cripto em dia decisivo para ETFs de Ethereum

Manhã Cripto: Câmara dos EUA aprova nova lei cripto em dia decisivo para ETFs de Ethereum

Nesta quinta-feira termina o prazo para a SEC aprovar ou rejeitar o ETF de Ethereum da VanEck
Imagem da matéria: Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Ethereum Rio: Começa hoje evento que promove ecossistema da segunda maior criptomoeda do mundo

Evento Ethereum Rio ocorre entre os dias 13 e 15 de maio no Porto Maravalley, Rio de Janeiro
Imagem da matéria: Dogecoin está se aproximando de uma "cruz dourada": o que isso significa?

Dogecoin está se aproximando de uma “cruz dourada”: o que isso significa?

Média móvel simples de 50 semanas (SMA) do preço spot da Dogecoin está atualmente em alta e pode passar barreira das 200 semanas