Imagem da matéria: Conheça o Bitcoin, o bode do criador do Facebook, Mark Zuckerberg
Bitcoin e Max, bodes de Mark Zuckerberg. Foto: Reprodução

O bilionário criador do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou na segunda-feira (10) em seu perfil na rede social que tem dois bodes, um chamado ‘Bitcoin’ e outro ‘Max’.

Após a publicação, que teve cerca de 1 milhão de reações até a manhã desta terça-feira (11), entusiastas do setor começaram a especular se haveria uma mensagem subliminar no post:

Publicidade

‘Será que o Facebook vai comprar bitcoin? ‘Será que o empresário é um bitcoin maximalista (nome da pessoa que confia no potencial da criptomoeda)?’ foram algumas das possibilidades levantadas no Twitter.

O que pouca gente deixou de notar, no entanto, é que o Bitcoin (o animal) e o Max na verdade podem estar com seus dias contados. Isso porque Zuckerberg gosta – ou gostava – de matar bodes para servir em jantares.

Em 2019, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, disse durante uma entrevista para a Rolling Stone que foi chamado à casa de Zuckerberg para comer. Como prato principal, o bilionário excêntrico teria servido o bicho.

“Bem, houve um ano em que ele só comia o que matava. Ele fez bode para mim para o jantar. Ele matou o bode. Ele o mata com uma arma laser e depois com a faca. Em seguida, ele envia para o açougueiro”, falou Dorsey.

Publicidade

Zuckerbeg, Facebook e criptomoedas

Só o tempo irá dizer se o Bitcoin (animal) e o Max vão acabar na panela. Em relação ao BTC criptomoeda, o bilionário já demonstrou em outras ocasiões ser fã da tecnologia, e o próprio fato de ter um bicho com o nome do ativo é um indicativo disso.

Até hoje, no entanto, Zuckerberg não afirmou publicamente ter investido em bitcoin, assim como fez Dorsey por meio de sua empresa Square. Por outro lado, desde 2019 o criador do Facebook tem apostado em um projeto de uma stablecoin própria, que nasceu com o nome de Libra e depois passou a ser chamada de Diem.

A iniciativa não tem agradado muito os países, que enxergam na criptomoeda um perigo para suas soberanias. Testes também mostraram que a stablecoin é mais lenta que o Bitcoin.

VOCÊ PODE GOSTAR
Donald Trump posa para foto em evento político nos EUA

Trump cobrará R$ 5 milhões de quem quiser dividir mesa com ele em evento de Bitcoin

Uma foto com Trump também custará caro aos participantes, indo de R$ 330 mil a R$ 550 mil
Moedas de bitcoin sob bandeira da Argentina

Argentina sanciona lei que permite aumento de capital de empresas com criptomoedas

Javier Milei também nomeou um especialista em blockchain para liderar Agência Federal de Segurança Cibernética