Cardano realiza seu hard fork Shelley após cinco anos de preparação

Foto: Shutterstock


Após cinco anos de desenvolvimento, a atualização Shelley da Cardano finalmente chegou, nesta quinta-feira (30), deixando para trás a versão Byron e introduzindo stake pools e delegations.

Stake envolve ter uma grande quantidade de sua moeda nativa, a ADA, na carteira. O benefício de fazer isso é que há uma chance maior de você ganhar ainda mais ADA ao obter recompensas pela ajuda na validação da rede.

Tudo isso é alimentado por seu protocolo Ouroboros, que escolhe quem deve adicionar o próximo bloco na blockchain da Cardano. É um sistema de validação de transação, com a mesma finalidade da mineração (Proof of work), mas sem depender de poder de computação.

Você também pode operar algo chamado stake pool, que permite apostar as moedas de outros usuários em seu nome ou delegar suas moedas para que outra pessoa faça por você. O IOHK, time por trás do projeto, disse em um comunicado à imprensa que espera atingir cerca de 1.000 pools; isso é baseado no número de stake pools abertos durante sua rede de teste. Após o lançamento, 444 pools estão operacionais até o momento.

O primeiro bloco da Shelley foi validado em uma versão testnet da nova blockchain em 27 de abril. Um testnet é como uma versão beta de uma blockchain. Geralmente, a testnet não envolvem dinheiro real. Mas a IOHK executou uma rede de testes verdadeira para Shelley.

Agora ela passou para a rede principal: “É uma conquista monumental, mas isso não significa que ficaremos parados, e estamos ansiosos pela entrega das fases Voltaire e Goguen do roadmap da Cardano, que verão acordos robustos de governança e funcionalidade de contratos inteligentes implementados este ano”, disse Aparna Jue, diretora de produtos da IOHK, em comunicado.

Charles Hoskinson, CEO da IOHK, acrescentou: “Desta vez, no próximo ano, poderemos ver centenas de ativos e aplicativos descentralizados em execução na Cardano”.

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt.co