Imagem da matéria: Banco de investimentos vai pagar R$ 5 milhões à CVM em processo de manipulação de fundos
Foto: Shuttestock

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aceitou a proposta de R$ 4,87 milhões da oferecida pelo banco BNY Mellon para que encerre o processo administrativo contra ela. A empresa vinha sendo investigada pelo órgão após suspeitas de falta liquidez nos fundos que negociava no mercado.

A empresa de investimentos se tornou alvo da CVM após a superintendência de Relações com Investidores Institucionais (SIN) constatar que todos os 118 fundos administrados pela BNY Mellon apresentavam de alguma maneira problemas de liquidez.

Publicidade

Em 96 deles houve o chamado “falso positivo”, ou seja, “a BNY Mellon apresentava ID (informe diário) com valores de ativos líquidos (assim considerados aqueles na carteira que poderiam ser liquidados no prazo indicado para resgate no regulamento) que não correspondiam à realidade dos fundos”.

CVM e liquidez de fundos

Esse resultado veio de uma análise feita no período compreendido entre junho de 2015 e novembro de 2016. Essas 96 ocorrências de “falso positivo” foram encontradas por meio de ações de fiscalização pela SIN, uma vez que a administradora entregava informações imprecisas.

O resultado foi que a CVM encontrou já nos informes problemas em 16 fundos. Em 75 fundos, o órgão descobriu problemas por meio de testes de estresse, os quais são feitos pela autarquia para avaliar a vulnerabilidade de uma carteira diante de um cenário hipotético de crise. 

Os outros cinco fundos, que também apresentaram problemas, não precisariam passar pelo teste de estresse, “por se tratarem de fundos em condomínio fechado ou de fundos exclusivos, nos quais as verificações de liquidez não são obrigatórias”. No entanto, “como as informações cadastrais de tais fundos não estavam atualizadas”, eles também foram testadas.

Publicidade

Demais fundos ou apresentaram problemas definitivos de liquidez ou sérios riscos. 11 destes fundos “não tinham ativos líquidos suficientes para fazer frente às saídas de caixa previstas”.

Do processo ao termo de compromisso

Diante desse cenário não houve outra saída. A CVM resolveu instaurar um processo administrativo sancionador em 2017. A empresa e o responsável por ela, então, apresentaram uma proposta para pagarem juntos R$ 700 mil. Essa proposta, contudo, não foi aceita. 

A Procuradoria Federal Especializada (PFE) apontou que a empresa e seu responsável não resolveram o problema das irregularidades, mesmo após a instauração de inúmeros expedientes de fiscalização. A PFE, então, recomendou à SIN “atestar se houve efetiva cessação da prática delituosa”.

Após a essa análise, a CVM constatou que:

“houve melhora da eficiência nas políticas de gerenciamento de risco de liquidez dos fundos de investimento administrados pela BNY Mellon”.

Publicidade

No entanto, o órgão sugeriu que fossem pagos R$ 11.130.000,00 para efeito de Termo de Compromisso. Sendo que a BNY Mellon deveria arcar com o valor de R$ 8.904.000,00 e Carlos Salamonde com o valor de R$ 2.226.000,00.

Isso, por fim, acabou sendo renegociado. A CVM aceitou a proposta de a BNY Mellon pagar R$ 3.898.000,00 e do diretor da empresa arcar com R$ 974.500,00. 

Para o Comitê de Termo de Compromisso, o montante de R$ 4.872.500,00 “é suficiente para desestimular práticas semelhantes, em atendimento à finalidade preventiva do instituto de que se cuida”.


Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: Polícia do Rio pede ajuda da população para encontrar líderes de pirâmide financeira cripto; veja fotos

Polícia do Rio pede ajuda da população para encontrar líderes de pirâmide financeira cripto; veja fotos

Anderson e Mabia de Almeida eram diretores da Trion Invest, esquema fraudulento de criptomoedas que lesou cerca de mil pessoas em Niterói
Pelé segura taça Fifa me evento

BitGo nega parceria com novo negócio de criptomoedas de filhos e ex-mulher de Pelé

JanBank, que tem familiares de Pelé e um pastor como sócios, será focada em pagamentos com Bitcoin, Ethereum, entre outros criptoativos
cédulas de 100 e 200 reais

Cresce número de brasileiros que sacam dinheiro em caixas eletrônicos

De acordo com o levantamento, 54% dos pesquisados disseram que o saque é uma das principais operações realizadas cotidianamente
Imagem da matéria: Falha no Bradesco faz sumir saldo da conta dos clientes; veja as reclamações

Falha no Bradesco faz sumir saldo da conta dos clientes; veja as reclamações

Segundo maior banco do Brasil, Bradesco entrou no Trending Topics do X por erro que fez sumir saldo dos correntistas